saga de uma tímida/insegura/atrapalhada/parva cujo dom é sonhar

Quinta-feira, 2 de Setembro de 2010

É quando começamos a receber visitas de pessoas que foram educadas com nós para nos mostrarem os bebes delas que começamos a perceber que não vamos para novas. Hoje conheci o bebé de uma amiga que é da idade do meu irmão mas enfim, eu cresci com ela e enfim, é estranho ver agora ver assim as pessoas que eram tão novinhas e agora têm filhos e responsabilidades diferentes. Ela não teve uma vida fácil e a familia dela, o pei dela morreu com cancro há algum tempo e depois nasceu o filho do irmão dela e agora o dela e é uma forma de animar a casa e a mãe dela tá bem diferente muito mais animada, enfim é optimo ver isso. Fico um bocadinho emocionada por ouvir ela a contar do parto e tudo mais, depois contou como agarrou a mão do marido quando estava a por os pontos (essa parte não é muito emocionante) e agarrou tanto a mão dele que ele até disse que nem teve coragem de ir ver o bebé porque ela estava a agarra-lo com tanta força que percebeu que lhe tava a custar enfim, é tão querido ouvir isso. Enfim estou um bocadinho carente. Peguei no bebé e ele era muito sossegadinho, a minha mãe disse que tinha mais jeito que ela que já se tinha esquecido se calhar porque teve medo lool. Eu tenho sempre um bocado de medo de pegar em bebés e tenho vergonha de fazer asneiras e enfim, mas peguei nele e ele agarrou-me o dedo e esteve lá quietinho enfim, é muito fofo. Eu só de pensar em casamento, em filhos, dá-me tanta vontade só faltam alguns pormenores tipo o curso feito, dinheiro, trabalho e talvez alguém com quem casar e ter o filho. Outra coisa que eu sinto para além de achar que estou a ficar velha de mais para o que eu julgava ser os vinte e dois anos, é como se os miudos que agora estão nos dezoito anos e por aí me estivessem a roubar a minha época, isto é, agora é o tempo deles, o tempo em que se tira a carta, o tempo em que se começam a sentir adultos, o tempo em que saem pras discotecas porque já são maiores de idade (já saem antes mas enfim, o sentimento é outro), escolhem a universidade ou vão trabalhar enfim. É altura deles, e eu conhecia-os novinhos e não me vi crescer nem a eles. Eu sei que este sentimento é capaz de ser um bocado precoce mas eu sinto que não vivi muito bem essas alturas, não fui uma adolescente como as outras, não sinto que fui plena nessas alturas e agora sinto um bocadinho de ciumes quando os vejo tirar a carta e assim, agora já não é novidade eu ter a carta e estar a ficar adulta, agora a novidade são eles, enfim. É um bocado ridiculo mas sinto mesmo isso. E reforça um bocado aquele sentimento que tenho de estar a perder tempo, parece que não fui grande coisa, não fiz o que podia, não fiz tanto como era suposto. Quando me vêm dizer das pessoas que fugiam de casa para sair à noite, das pessoas que foram trabalhar numa coisa menos divertida para poderem ir passar as ferias com os amigos ou o namorado, quando me falam dessas histórias que costumam a acontecer na adolescencia e por essa altura eu fico pior do que estragada porque afinal de contas a coisa mais arriscada ou especialmente estimulante que fiz ultimamente foi o quê? Comunicar com uma Inglesa à frente de pessoas? Sair com pessoas com quem já não saia há bastante tempo? Acabar um namoro de quatro anos que suportei muito tempo? No filme The Girl Next Door, um filminho light, a rapariga pergunta a certa altura ao rapaz qualquer coisa como qual foi a coisa mais doida que ele fez ultimamente. No inicio do filme ele não tinha grande coisa para lhe responder, no meio do filme ela já o tinha posto a mergulhar na piscina alheia nú, entre outras coisas. E é disso que falo, não de mergulhar nua na piscina alheia, por mais interessante que isso podesse ser, mas de fazer coisas divertidas. E pronto, estou numa crise de meia idade com vinte e dois anos. Espero é que se aparecerem as oportunidades de me divertir à grande, ter o descernimento de me saber permitir divertir. E é isto que vos conto por agora.

See ya

escrito por sonhadoraincuravel às 01:45
link do post | dar palpite | | | favorito

Também já vi o filme, é giro :) E não podes pensar assim, também não estás muito velha e ainda podes recuperar essa juventude, porque ainda és jovem. Embora a tua amiga já tenha tido um bébé, tu também virás a ter mas tudo vem a seu tempo, não te podes deixar ir abaixo agora, se tivesses 40 anos era muito pior :D Por exemplo, tenho uma prima que casou com 20 anos, demasiado nova e depois, ao fim de 5 anos, percebeu que não era o homem ideal para ela mas também casou com ele porque tinha uma vontade enorme de fazer família, de ter um filho. E ele também era estéril e metia sempre as culpas para cima dela, por não conseguirem ter um filho. Divorciaram-se e, quando fez 28 anos é que encontrou o homem certo para ela. E tiveram um filho à relativamente pouco tempo, ela com 33 anos. Não podes pensar muito nisso, o tempo virá. Agora podes aproveitar a juventude, que é o que importa :D Beijinhos Fica bem
DolceScrittora a 2 de Setembro de 2010 às 12:09


ora-deixa-ver-quem-é-esta-croma
Setembro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9

13
14
16

24

26


últ. comentários
mais do que isso tou com preguiça de ler o que esc...
olá, como vais? este blog é bom se tiver pernas pa...
olá menina, como é que tu estás? saudades tuas.. v...
olá menina. então, como é que tu vais ? eu vou bem...
olá. já tinha muitas saudades tuas. como estás ? p...
olá! eu também ia cheia de esperanças, quando come...
ola responi tardeas respndi. Sim eu tenho POC e e...
Olá...andava a fazer uma pesquisa sobre poc e enco...
olá! saudades tuas. ainda bem que estás bem. vê se...
tive uma grande necessidade de apagar todos os blo...
Relógio
relojes web gratis
favoritos

2009.

pesquisar
 
Fazer olhinhos

blogs SAPO


Universidade de Aveiro