saga de uma tímida/insegura/atrapalhada/parva cujo dom é sonhar

Quinta-feira, 29 de Julho de 2010

Estou desanimada não tenho grande vontade de fazer grande coisa, dou por mim a pensar em coisas parvas que só me fazem sentir mal. Estou desiludida. Uma das minhas "amigas" lá viu que a minha prima fazia anos e lembrou-se que eu também tinha feito. Eles não têm que dar importância a isso, é um dia como outro qualquer, mas já que nos outros dias as coisas não são ideais, se calhar é um dia em que há oportunidade de nos lembrarmos de alguém mas enfim. Provavelmente é pretencioso da minha parte mas gostava de uma demonstração de amizade e fiquei carente com isto tudo. Não me apetece estar com eles até porque provavelmente tinha que ser eu a dizer-lhes alguma coisa e estou cansada disso. Estou um bocado cansada das pessoas em geral. O problema até será maioritariamente meu, não digo que não, mas estas coisas não ajudam. Então ando assim, ora consigo fazer um esforço para parecer mais bem disposta e contagio as pessoas à minha volta e lá vou ficando também mais bem disposta, ora ando aqui mais calada e pensativa. Não tenho tido vontade de fazer grande coisa mas estar parada faz-me mal mas parece que não vejo nada que me faça fazer o esforço de me mexer. Mas estou a tentar fazer o esforço, estou mesmo e vou-me aguentando lool. Pensando na questão de procurar atitudes minhas em que veja caracteristicas que escrevi na consulta de psicologia que não tinha, sinceramente não consigo encontrar essas atitudes. Ás vezes tento convencer-me que posso ser forte e tenho algum entusiasmo com isso mas geralmente não acredito mesmo nisso. Ontem consegui convencer a minha mãe a ir comer um gelado, hoje ando a fazer trabalhos com o meu irmão, tinha bilhetes grátis para o cinema até hoje mas quem me apetecia levar não está com vontade então é isto que tenho programado, vou continuar com os trabalhos e ter mais um serão de novelas e séries repetidas.

See ya

escrito por sonhadoraincuravel às 15:34
link do post | dar palpite | ver comentários (3) | favorito

Sexta-feira, 23 de Julho de 2010

No texto anterior estava um bocado triste nem me apetece ler o que escrevi porque escrevi algumas coisas parvas mas não vou apagar porque foi o que me apeteceu dizer na altura. O meu dia de anos foi melhor acordei com o meu pai a cantar os parabéns lool tive cá alguma familia e pronto foi uma reunião de familia que é sempre bom. O T. mandou-me uma mensagem e a J. também, gostei muito da mensagem dela. No facebook também muita gente me desejou os parabéns porque são avisados lool mas o engraçado é que as três pessoas a quem chamo amigos ha pelo menos sete anos, as unicas pessoas a quem chamo isso esqueceram-se completamente não me dizem nada nem por mensagem nem pela net enfim, é como se não existisse. Estas são o tipo de coisas que eu falo quando digo que fico magoada mas acabo por perdoar aquelas pequenas coisas deles. Eu sei que uma mensagem estúpida não é a coisa mais importante do mundo, a minha mãe desvalorizaria isso e provavelmente tem razão mas que posso fazer se fico magoada, vem reforçar aquele sentimento que eu não faço diferença nenhuma na vida deles. Eu sei que o P. me convidou quando acabou o curso e quando fez o espectáculo e eu gostei muito que o fizesse mas em quatro anos em que estamos mais separados em que recebo esses dois unicos convites (que valorizo) no meio de tantas falhas que tiveram comigo. Estive há uma semana com a C. porque fui ter com ela, já que o contrário não aconteceria, mas tudo bem o namorado é que tem carta e tinha que vir de transportes se não fosse com ele, mas até me perguntou se ia festejar alguma coisa e assim e depois pronto. Ó enfim, eu digo isto e ao mesmo tempo sinto-me parva porque sinto que tou a valorizar muito isto e a querer se calhar que alguém axe que os MEUS ANOS sejam uma coisa muito especial e na verdade é o que é. Enfim não vale a pena ficar tão amarga com isto e eu sei isso mas acabo por ter sempre estes pensamentos na altura dos meus anos. No fim de semana vou sair com os meus pais e o meu irmão, vamos a um restaurante e vamos passear.

See ya

escrito por sonhadoraincuravel às 22:42
link do post | dar palpite | ver comentários (6) | favorito

Quinta-feira, 22 de Julho de 2010

Hoje vi umas amigas ou colegas de escola do liceu. Fui cumprimentar e fiquei tão mal que fui abaixo. Não sabia o que dizer, não sabia como me despedir, tremi, fiquei estranha enfim senti-me mal senti que o meu nervosismo se viu e não sabia como fazer mas depois fiquei a pensar naquilo revi a cena centenas de vezes e tentava não pensar nisso, desvalorizar mas sentia um nó na barriga. Fiquei com uma dor de cabeça enorme, ou melhor aumentou porque ultimamente passo o dia com dor de cabeça. Estive a penbsar quando me mandavam mensagens à meia noite do meu dia de anos, quando vinham falar comigo etc. Agora não recebo nada. Recebi uma mensagem básica do T. mas estava com medo de receber uma com coisas que me posessem mal pelo menos assim disse o que tinha a dizer e pronto. Todos os anos é isto, fico sempre mal disposta, fico triste enfim. Por isso é que há anos que digo que não festejo os meus anos. Acabo por festejar sempre alguma coisa com os meus pais e pelo menos a minha avó, sinto-me quase na obrigação porque os meus pais querem festejar os meus anos e porque a minha avó também faz questão que eu sei. E eu gosto de fazer isso, se não for por mim às vezes, é por eles. Mas a verdade é que acabo por ficar triste ou porque sinto que não tenho importância para ninguém, pra nenhum amigo.... normalmente por isso. A minha mãe já se irritou comigo muitas vezes, porque noutros anos acabei por ficar mal disposta durante uns dias e acabei por lamentar-me por não festejar os meus anos e ela irrita-se e disse que eu é que não queria enfim. Realmente é ridiculo mas eu não quero festejá-los basicamente porque este dia axo que é um dia especial para a pessoa mas básicamente eu não me sinto especial para ninguém para além da minha família, há alguns anos. Ultimamente tenho falado mais com os meus amigos do liceu e assim, mas mesmo participando mais da vida deles axo que não sinto o mesmo carinho deles que eu tenho. Se calhar estou a ser parva, se calhar estou a contradizer-me mas continuo sempre a ser eu a ir falar com eles e quando acontece o contrário como aconteceu recentemente com o P., foi para ir vê-lo e apoia-lo. Eu não estou a desvalorizar isso, eu gostei e ele também gostou, mas nunca veio à nossa cidade e me disse para estar comigo se é que me faço entender. A J. também tem sido uma amiga mas com ela não me sinto tão à vontade, é uma amizade diferente, eu própria sou diferente com ela do que sou com outros amigos. Sei que ela se vai lembrar de mim e que faço anos até porque temos sete dias de diferênça na nossa idade, mas também ainda não é aquela amizade como tinha no liceu com as pessoas do meu grupinho. Eu estou a tentar alimentar as amizades que tinha e a tentar que a amizade com a J. cresça mas não consigo evitar. Talvez tenha sido o facto de ver as minhas duas colegas numa esplanada num dia de sol como hoje, talvez tenha sido o facto de ter ficado atrapalhada e me estar a penalizar com isso, enfim se calhar até é as duas coisas. Mas estou assim com vontade de chorar, desanimada. Estou a dizer coisas que provavelmente contrariam tudo de positivo que tenho dito até agora eu sei, mas não consigo estar a sentir as coisas de outra maneira agora, estou a tentar. Tenho a sensação que este não é um sentimento muito nobre ou correcto não sei bem explicar porque mas gostava mesmo de me sentir especial para alguém. Isto soa mal, pior quando sai da minha cabeça mas não é uma coisa "não-palpavel" eu tenho essa carência ha bastante tempo de sentir que alguém fez um sacrificio por mim, não estou a falar obviamente de nada gradioso, estou a falar de alguém estar um bocado mais longe mas fazer o sacrificio de vir por mim, de estar ocupado mas arranjar cinco minutos para falar comigo enfim. É parvo eu sei. A sério que sei como soa e é daquelas coisas que não vesbalizaria a ninguém, mas sinto isso há muito muito tempo mesmo. E até sei que circunstancias podem ter levado a isso e tudo mais mas sinto-me mesmo à parte das outras pessoas, eu sou sensivel a coisas que as pessoas parecem não dar importância pelo menos na prática, não sei explicar. Enfim estou basicamente carente e já era algo de esperar porque tem sido assim na altura dos meus anos. Não devo ser a unica a sentir-me assim. Não sinto que a culpa é toda minha, senão não me sentiria assim mas de uma maneira diferente, mas sei que também tenho que aprender a dar importancia às coisas boas e que se calhar, silenciosamente estou a exigir de mais das pessoas, não sei. Estou carente.

See ya

escrito por sonhadoraincuravel às 00:24
link do post | dar palpite | ver comentários (1) | favorito

Segunda-feira, 19 de Julho de 2010

Tenho escrito pouco ultimamente mas para além do meu ultimo texto dar para os dias que não escrevi lool tenho estado ocupadaou chateada, estive doente com sintomas de velhice, vou fazer vinte e dois anos esta semana e os sintomas fazem-se sentir lool. Amanhã devia ir à universidade mas marquei dentista e já desmarquei tantas vezes que axo que vou ao dentista e depois vejo essas coisas da escola. Tenho andado chateada axo que é por não ter nada que fazer nos ultimos dias quando estive doente e mesmo o facto de estar adoentada mas não é o mesmo aborrecimento que sinto às vezes que pesa de tão aborrecido lool é só mesmo o facto de não me arranjar para sair e essas coisas que fazem falta mesmo que pareçam chatas quando andamos a faze-las. Hoje tive cá familia em casa e foi bom ter os meus meninos a chatearem-me a cabeça a tarde toda, são chatinhos falam para mim desde o momento em que chegam cá até irem embora mas são uns fofinhos. As vezes tenho duvidas se realmente tenho jeito para crianças como me dizem às vezes e como axo as vezes mas nestas alturas vejo que tenho um certo jeito para elas e enfim, afinal sempre tenho jeito para alguma coisa lool. Hoje recebi uma prenda antecipada, um bikini muito giro e uma pulseira feita pela minha afilhada. O meu irmão também recebeu uma prenda de uma amiga que ele ajudou a estudar para o exame final do curso deles. É estupido mas gostei de ver a ajuda dele recompensada. Eu  vi-o a estudar, ajudei-o a fazer uns trabalhos, encomendei-lhe alguns livros, tirei-lhe fotocopias encadernei-lhe livros enfim essas coisas e vi que ele se esfolou a estudar e sei que essa rapariga estava com alguns problemas e não pode estudar tanto e axo bonito que o meu irmão tenha saido de casa para ir ajuda-la a estudar e mesmo tendo estudado também possivelmente não estudou tanto quanto estudaria sozinho mas axo isso bonito. Axo que é uma coisa que está na nossa educação, cá em casa vejo muito isso não sei se sou sempre assim mas tento sê-lo. Enfim mas depois vi o presente que ela lhe deu e senti assim  aquele orgulhosinho. Tenho pensado no que falei na consulta de psicologia, quando disse as coisas que achava que não era mas gostava de ser e depois tentaria ver em certas atitudes minhas essas caracteristicas. Não sei porquê mas tenho tido dificuldade nisso, não exactamente a encontrar as minhas características nas minhas atitudes mas sim a pensar nisso, a reflectir sobre as minhas atitudes. Provavelmente isso não tem grande significvado e é simplesmente preguiça mas axo que estou numa fase nestes dias em que não tenho grande vontade de pensar nos meus dias, fazer essa reflexão, daí não escrever muito ultimamente (se bem que quando escrevo escrevo muito lool). Bom mas se calhar é uma boa altura para escrever aqui as características que rereri na altura que gostaria (não tenho o papel em que as escrevi à mão mas não andarão longe disto): forte, extraovertida, sincera (frontal), inteligente ( e talvez haviam mais mas não me estou a lembrar agora). Ou seja, gostava de ser mais forte no sentido de enfrentar as situações sem fazer um problema de coisas que não têm que se-lo e ser forte para não me ir tão abaixo quando as coisas não em correm assim tão bem. E ter uma personalidade forte ( a minha madrinha de vez enquando diz que eu tenho personalidade forte mas sinceramente não sei como ela viu isso em mim, porque axa isso, honestamente não sei mesmo, agrada-me ouvir mas não vejo mesmo quando ela viu isso) e com personalidade forte quero dizer aquele tipo de pessoa que não se deixa calcar os calor, que se impõe de vez enquando, eu já tive situações na universidade em que me calcaram os calos e me senti humilhada por estarem a faze-lo e eu não reagir, só uma vez em que cheguei ao limite e tive uma atitude mais forte de lançar um olhar a uma colega e depois de a prof me ter dado razão, lhe ter dito "era isso que estava a dizer" (isto foi a minha atitude mais forte imagine-se), mas não gosto muito de lembrar isso. Quanto ao extraovertida axo que é facil perceber, eu não gosto muito daquelas pessoas expansivas mas se calhar gostava de deixar uma primeira impressão mais divertida e menos acanhada provavelmente. Sincera ou frontal é uma coisa que me custa um bocadinho ser porque eu quando me dizem alguma coisa eu procuro o que pode estar por trás daquilo, como por exemplo quando uma amiga me disse no outro dia que estava muito bonita eu automaticamente estava a pensar se ela disse aquilo superficialmente, sem pensar muito, se disse aquilo porque eu costumo estar mais feia, enfim lool, então, quando chega a hora de dizer se eu axo que aquelas calças ficam bem a alguém eu tenho uma certa dificuldade de dizer quando não gosto e mesmo a forma de dizer que gosto é estudada antes de dizer porque não vá a pessoa ficar envergonhada ou triste. Por exemplo à minha mãe tenho àvontade para lhe dizer que não gosto muito do modelo das calças que ja vi coisas mais giras mas não faço a mesma coisa com muito mais pessoas. E o inteligente vem daquele meu complexozinho que por algum motivo me faz sentir mais pequenina quando vou pra universidade, axo que é basicamente lá que sinto isso. Axo que devia haver uma unidade de medida qualquer que medisse o nosso conhecimento e a nossa capacidade e assim eu já sabia com o que podia contar, se não fosse muito pelo menos sabia lool. Na verdade eu sei que já em pequenita eu pensava que quando fosse grande queria saber muitas coisas como o meu pai sabia e ao longo do tempo fui ganhando também essa coisa em relação ao meu irmão. Não sei se é aquela coisa de idolatrar o meu pai e o meu irmão mas axo sinceramente que não é, admiro muito as coisas que o meu pai sabe ou porque era uma criança das que ainda aprendia as coisas na rua e inda por cima numa aldeia aprendeu montes de coisas giras que nos ia ensinando, ou porque sabe coisas sobre países que nunca visitou mas de alguma maneira sabe, porque se interessa muito por animais, porque tem a necessidade ou o gosto, provavelmente as duas coisas de aprender. O meu irmão também não tinha grandes notas mas eu posso dizer que com notas melhores não fiquei a saber metade, porque ele ficava muito ervoso nos testes e havia sempre o estigma de estar numa turma que não era grande coisa e de ele não ser um aluno muito bom, mas a verdade é que as coisas que ele aprendeu na escola ficaram mesmo e mesmo na universidade ele tem uma capacidade de estudar que eu não tenho e fica mesmo a saber o que estuda, pode até não se lembrar no teste, mas se lhe perguntar depois ele sabe. E meso a capacidade de questionarem o que lêm e ouvem, não engolirem tudo o que lhes dizem, foi uma coisa que fui aprendendo e ainda aprendo com eles. Depois disto eu fico a achar que eles são uma esponja que absorvem a informação e eu sou talvez um coador que deixa passar quase tudo lool às vezes fico com a sensação que sou um coador com os poros mais abertos outras veze tenho a sensação que os poros são um bocado mais fechados lool. Bom e como estava a falar fiquei de tentar encontrar essas atitudes em mim em certas atitudes. Fazendo assim uma leve retrospecção axo que talvez tenha sido um bocadinho mais frontal que o costume numa situação. No outro dia vieram uns amigos dos meus pais cá a casa e o marido gosta um bocadinho de se armar em mais esperto que a mulher, gosta de mostrar que é melhor que ela (não é nada muito grave mas fa-lo) e estavam a ter uma conversa que não dá para explicar mas era sobre coisas em ouro, joias e ele estava a dizer que era ridiculo estar a comprar um anel de ouro porque quando se vai a vender não vale nada. Estava a dizer isto para contrariar a mulher e num tom e contexto que era mesmo para ridicularizar o que ela estava a dizer. Os meus pais estavam meios calados e sorriram mas não quiseram alimentar muito a conversa e eu contrariei o que ele disse e disse-lhe qualquer coisa como que também quando se comprava uma joia era por outro motivo qualquer não era a pensar no valor que ia ter quando se vendesse. Bom isto escrito não tem sentido nenhum, mas vá acreditem em mim lool normalmente não me meto muito nisso e depois até comento com os meus pais e liberto a minha raiva por a pessoa ter feito o que fez lool inda por cima não tenho assim grande confiança com as pessoas mas pronto fui um bocadinho mais frontal e mostrei de alguma forma que não estavamos exactamente a corcordar muito com ele (a sério que a história escrita não faz jus ao que aconteceu na realidade lool). Quanto às outras características não as reconheço assim em nenhuma atitude que tenha tido. Mas talvez as encontre afinal não somos só isto ou aquilo não é verdade? Aliás costumo dizer e pensar muitas vezes que não somos só bons ou maus, geralmente penso nisso em relação às outras pessoas quando fico desiludida com alguma atitude de alguém ou assim mas acredito que relamente as pessoas possam ter todo o tipo de atitudes, depois têm que alimentar as que acham certas, digo eu. Mas espero ainda comprova-lo comigo neste exercicio de procurar essas caracteristicas em mim, era muito bom. E já escrevi tanto, peço desculpa a quem tiver que ler isto tudo (passem partes à frente distraidamente,  ficarão a saber o mesmo provavelmente lool). E hoje axo que já escrevi tudo.

See ya

escrito por sonhadoraincuravel às 00:55
link do post | dar palpite | ver comentários (3) | favorito

Segunda-feira, 12 de Julho de 2010

Apetece-me falar de uma coisa que me emocionou ultimamente. A minha afilhada e o irmão são crianças um bocadinho diferentes, os pais dão-lhes uma educação um bocadinho diferente daquela que eu gostaria de dar aos meus filhos e daquela que tive. Dividas e problemas económicos e mesmo no casamento que se juntaram à criancisse dos pais fazem com que estejam sempre a discutir e a mãe é exageradamente protector. A minha afilhada é calminha e responsavel e guarda as coisas para ela e às vcezes vejo-a mais tristinha e ela não se abre muito, o irmão está sempre a mexer não para de falar e é bruto às vezes e mal educado. A minha afilhada entretanto também aprendeu que tem que mentir à mãe para poder respirar o que é errado e o irmão apesar de ser assim consegue ser muito meiguinho comigo. Os pais discutem de uma forma já nem civilizada berram, insultam-se, humilham-se magoam-se enfim já esta num estado insuportavel. Os meninos já estão tão habituados que dormem enquanto eles berram para todo o prédio ouvir. Bom ultimamente o meu tio veio cá dizer que se quria separar mas que precisava de ajuda porque a minha tia estava descontrolada e ele já não aguentava, os meus pas foram lá a casa porque previram que  quando ele fosse para casa ia haver discussão. Tudo isto é habitual não foi isso que me emocionou. Mas hoje soube que o meu primo disse ao meu pai que quem lhe dera ter um pai com ele. A sério fiquei mesmo emocionada com aquilo, é tão triste ouvir isso saido da boca de uma criança não sei explicar. É um reflexo do que se passa, eu tento ajudar como posso directamente com eles, tento po-los à vontade para falarem comigo e mostrar que percebo o que eles sentem e às vezes na tentativa de amenizar a coisa até tento dizer-lhes que aquilo é relativamente normal mas a minha afilhada vê que não poder transpirar, não poder comer o que o irmão é alergico, não tomar banho sozinha com a idade dela, não poder comer laranjas porque fazem diarreia, nem poder comer morangos porque muita gente é alergico (se é que me faço entender) e ver os pais a berrarem até não terem voz, insultarem-se de tudo e mais alguma coisa, partirem loiça eu sei lá o que já vi ali. A minha afilhada vê que isso não é assim para todos os meninos da idade dela. Custa-me ver as coisas assim porque claro que as opessoas tentam dizer mas a minha tia é a mãe e axa-se a melhor mãe do mundo porque os protege e então se alguém critica os filhos são dela e ela é que sabe. Eu axo que aquilo já é doença, obcessão. O meu pai que é calmo e tenta ver as coisas pelas perspectivas de toda a gente já não tem paciencia. Para terem ideia como a coisa é surreal eu tenho varios videos no telemovel deles a brincar com o meu pai, com a minha avo e assim e em muitos deles está uma voz de fundo da minha tia e ralhar porque vai mulhe4r os pés e constipar, porque vai transpirar e constipar, porque está doente, porque esteve doente, porque pode ficar doente. É mesmo complicado eu axo que aquilo tá mesmo descontrolado quer a educação dos meninos quer o casamento deles. Acabamos por ter que fazer uma coisa que é fazer coisas em segredo e isso não é educação mas só assim é que eles podem jogar à bola, andar ao sol enfim, mexer na terra essas coisas que devem ser feitas com precaução mas sem elas não temos defesas. Bom mas o que me tocou foi mesmo o meu primo ter dito aquilo axo que até me doeu porque uma criança não devia sentir isso principalmente quando tem todas as condições para ter uma vida super estável emocionalmente se não fosse a imaturidade dos pais. É nestas alturas que tenho tanta vontade de poder fazer a diferença para melhor na vida de alguém. Se poder fazer qualquer coisa para melhorar o que eles sentem em relação a isto e poderem suportar isto de uma maneira melhor fico mesmo feliz. Não digo po-los a rir e faze-los esquecer um bocado as coisas, isso eu sei que faço mas a minha ambição (por assim dizer) é um dia eles me dizerem "lembras-te quando me disses-te aquilo" enfim, axo que tenho mesmo um bocadinho alma de aducadora de infancia talvez, cuidar de cranças, ensinar uma coisa importante, conforta-las, faze-las felizes nem que seja mais um bocadinho é uma coisa que me incentiva. Já me senti um bocado frustrada por não ter escolhido esse curso mas não me sinto frustrada agora porque axo que se a vontade se mantiver, um dia vou acabar por construir qualquer coisa nesse sentido e se não for assim tenho sempre crianças à minha volta, sempre tive. Quando era pequenita e andava no ATL acabava de fazer os deveres mais cedo porque as educadoras me punham a cuidar dos mais pequeninos que chegavam a meio da tarde. E na minha avó sempre havia crianças que ela cuidava. Então eu acabo por ter sempre crianças à minha volta, a minha mãe diz que as atraio. Se não posso sempre ter as minhas lool. Aliás eu com doze ou menos anos já era madrinha e cada vez, talvez também deriuvado às circunstancias, encarno mais o papel e sinto mais responsabilidade em ser um apoio para ela e para o irmão também. Acabei por falar de mim outra vez lool. E já que o texto está grande, vou aumenta-lo um bocadinho. Houve outra coisa que me emocionou ontem, mas por motivos mais alegres. Fui ver um espectaculo onde actuava um amigo meu. Quando o vi em palco senti um orgulho tão grande, tão grande. Axo que me vieram as lágrimas aos olhos mas sobretudo fiquei com um orgulho mesmo grande, aquele era o meu amigo e tava tão bem. Foi uma pessoa inda por cima que por ser artista sofreu tanto com maldades decrianças e depois de adultos que agiam como crianças. Agora estava ali a actuar e a afirmar-se muito ais que aqueles que o insultaram e o poseram para baixo. Até professores que não acreditavam nele que axavam que não tinha cabeça para estudar e ali estava ele no estágio do curo que tirou direitinho sem sujar o curriculo. Enfim tive muito orgulho nele, ultimamente varias vezes falo que vejo pessoas que ja acabaram o curso que conseguem mais que eu e apesar de ficar contente fico a pnsar que eu não consegui isso e enfim, agora foi diferente, senti orgulho so orgulho. Nestes dias tenho andado bem, andei às compras com uma amiga vi que a amizade ainda continua e o avontade também, a minha familia anda toda alegre andamos todos mesmo bem e enfim, adoro estar assim. Nestas alturas penso que as coisas podem não ser como se vê nos filmes, não está tudo absolutamente brilhante, mas não trocava o meu lugar, não trocava a minha familia estou muito bem como se percebe lool tenho assim algumas oscilações mas mesmo quando estou um bocado mais em baixo axo que no fundo sei que é tudo a maneira de ver as coisas porque na realidade estou muito bem onde estou e tenho um lugar optimo na minha familia e mesmo nos meus amigos que tantas vezes axei que já não tinha. Ainda os tenho, apesar da distância, apesar do meu afastamento, apesar dos erros que eles também cometeram e dos que vão cometer porque somos humanos. Estava a ver uma publicidade e lembrei-me, hoje porguntei ao meu pai, e se entrasse no big brother, ele olhou para mim, riu-se e abanou a cabeça como se dissesse, passou-se de vez lool. Apetece-me inscrever só pela loucura, porque não faço muitas e era um teste à minha personalidade. Não me vou inscrever mas enfim era engraçado se não tivesse tantas outras coisas implicadas. "sonhadora incuravel é chamada ó confessionario, não pode andar a fazer aquelas coisas de baixo do edredom" lool. E se calhar já escrevi muito. Axo que não vos masso mais (e com vos quero dizer a ti morenita lool).

See ya

escrito por sonhadoraincuravel às 00:54
link do post | dar palpite | ver comentários (1) | favorito

Sábado, 10 de Julho de 2010

Não tenho escrito muito, mas ou ando a fazer alguma coisa ou estou sem vontade. Amanhã vou almoçar com uma amiga e à noite vou a um espectaculo de um amigo. Hoje estive um bocado aborrecida sem saber bem o que fazer para me distrair e descobri mais uma amolgadela no carro que alguém fez e se calou hoje ou ontem. Para resumir o meu carro deixou de puxar direito, foi três vezes à garagem até descobrirem o problema, depois esbarraram-se em mim, o seguro não funcionava apesar de a outra pessoa se ter dado por culpada e não haver duvidas, depois o carro foi assaltado e agora tenho uma amolgadela no carro e fugiram sem dizer nada. Até na garagem já me disseram para levar o carro ao bruxo lool. Quando é só chapa não é grave mas que já são muitas amolgadelas já. Na ultima consulta de psicologia, foi-me sugerido depois de ter escrito num papel características que gostava de ter, que até á proxima consulta tente identificar situações em que afinal demonstrei essas características. Sinceramente ainda não tentei fazer isso também porque tenho andado um bocado mais ocupada e ainda não me concentrei nisso mas vou faze-lo e descreverei aqui as situações. Bom e é isto que tenho para escrever hoje.

See ya

escrito por sonhadoraincuravel às 00:35
link do post | dar palpite | ver comentários (1) | favorito

Quarta-feira, 7 de Julho de 2010

Respondi ao T, disse-lhe que por mim era definitivo e que quando conseguisse falar comigo sem o magoar que estava aqui e enfim, disse-lhe as coisas que entendi que devia dizer e que eventualmente lhe podessem fazer algum bem. Ele não respondeu, já esperava que o fizesse e ainda bem porque dizer mais era prolongar esta situação. Espero que um dia consigamos ser amigos apesar de agora já não sentir tanto aquela dependencia da amizade dele que tinha. Isso faz-me sentir muiro bem, é muito bom sermos dependentes de nós mesmos apenas e axo que agora se tornou ainda mais definitivo a minha "libertação" dos fretes de fazer as coisas pelos outros e não por mim. Continuo a mesma pessoa só que agora tomei decisões e defini algumas coisas e assim posso começar de onde eu quero. É isso que sinto agora. De resto está um calor enorme só se está bem dentro de água. Brevemente talvez faça outro piercing na orelha, desta vez no tragus. A minha mãe não gosta muito da ideia, mas da outra vez também não gostou mas acabou por se habituar lool. O meu único receio é o facto de ja ter furado a orelha há uns dois meses, na parte de cima da orelha e ainda me dói um bocado mas não sei se será normal. Só não me apetecia que me ficasse a orelha a doer em dois sitios mas enfim, se não for já já será daqui a pouco tempo mas tenho mais dois furinhos a fazer na orelha. Fico com quatro furos na orelha mas discretos, nada de coisas espalhafatosas. A tatuagem que tantas vezes falei continua nos meus planos mas a coisa está mais em stand by porque realmente não encontrei quem me saiba desenhar uma coisa do meu agrado de acordo com aquelas coisinhas que eu quero que ela contenha. Axo que só depois de ver o desenho dos meus sonhos é que vou conseguir decidir mesmo o sitio onde a farei porque a coisa está virada para uma zona do corpo mas ainda não tem sitio exacto. Além disso, aqui pela terrinha não há sitios onde tatuar, ou pelo menos nada que me agrade sequer entrar no estabelecimento então para tratar disso tenho que ir a outros sitios então tenho que estar mesmo virada para aí. E pronto, vou beber outro garrafão de água que isto hoje está mesmo bom para desidratar.

See ya

escrito por sonhadoraincuravel às 19:45
link do post | dar palpite | ver comentários (1) | favorito

Terça-feira, 6 de Julho de 2010

ele hoje ligou-me com voz de choro, o T. Depois disse para lhe ligar um bocado depois e ali estava eu em frente ao telefone a dar tempo para ele se recompor. Depois liguei-lhe e ele desligou e passados uns minutos atendeu e perguntou a coisa mais descabida, se eu não axava que ja era muito tempo para estarmos separados. Eu falei com ele e disse-lhe que tinha que ser assim que era a solução. Ele disse que podiamos estar mal mas assim não estava melhor e disse montes de vezes que gostava de mim e que tinha saudades minhas. Que situação. Foi tão constrangedor, tão triste. Ele tá mal, sempre foi a uma psicologa e diz que sabe que tem que me esquecer mas que não consegue e que sente que quando quiz resolver os meus problemas ele foi a primeira coisa de que eu me livrei. Eu disse-lhe para ele não por as coisas assim, que não era nada disso que isso não funcionava assim aliás ta a por varias coisas de uma maneira que só reforça que ele esteja assim. Disse-lhe isso e depois ele acabou por antes de desligar dizer que lhe custava mas para eu não falar para ele. Eu disse-lhe que quando quizesse então para falar. Depois ao fim da tarde tentou-me telefonar e não atendi, não estava com disposição sinceramente, já estava encomodada o suficiente. Mandou-me então uma mensagem a dizer para pensar com carinho se não quero dar-lhe oportunidade, se pode lutar por mim, que só me queria fazer feliz, que eu era linda enfim. Piorou ainda mais. Depois ainda me mandou outra, talvez porque não respondi, a dizer para esquecer a mensagem que tinha que me respeitar. Depois ainda me mandou outra a dizer que se axasse que valia a pena pra pensar com carinho, se não para ignorar a mensagem. Não vou ignorar a mensagem, mas não há nada para eu pensar. Amanhã vou-lhe responder, hoje não me apetecia mesmo, nem me apetece pensar muito nisso. Eu não sei o que lhe dizer, não posso fazer nada por ele por muito que gostasse de ajuda-lo. Estou numa situação mesmo constrangedora, não gosto de estar a fazer isto a alguém. Eu que tento tanto não provocar constrangimentos e não magoar as pessoas agora parece que sou a pior pessoa do mundo. Eu sei que não há uma maneira correcta de fazer as coisas mas acredito que a maneira como fiz as coisas não foi a mais acertada. Eu não me estou a penalizar demasiado, ja passei essa fase axo eu, mas é muito chato ter a sensação de estar a ser a causa destes sentimentos noutra pessoa. Começo a pensar se não projudiquei a vida dele, se ele vai estar assim muito tempo, se vai ficar deprimido enfim, que danos estou a provocar na vida dele. Mas já me custou mais, não vou mentir, houve alturas que não aguentaria estar a ser a causa destes problemas, mas agora talvez por estar mais separada dele não doi tanto. Não sei se voltaremos a ser amigos mas prefiro estar assim mais afastada enquanto ele estiver assim em baixo, quer porque é o melhor para ele, mas também porque estou melhor assim e por mais egoista que isso possa parecer eu também tenho que olhar pela minha sanidade mental. Magoa-me que ele esteja assim por minha causa, mas estou certa da minha decisão. Por isso é que apesar de eu sentir falta de conhecer alguém e de ser feliz numa outra relação, e é claro que sinto muito falta disso, axo que tão cedo não me vou conseguir meter assim noutra relação porque tenho medo que me aconteça a mim o que está a acontecer ao T. ou mesmo medo de voltar a provocar isto em alguém apesar de axar que não volto a fazer os mesmos erros que fizeram com que agora em parte seja responsavel por o T. estar assim. Os pais dele devem-me detestar nesta altura. Até tenho medo da cara deles quando me encontrarem. Mas estou bem e até foi um dia alegre cá por casa. Gosto quando andamos divertidos cá por casa axo que contagiamos uns aos outros com a boa disposição.

See ya

escrito por sonhadoraincuravel às 00:22
link do post | dar palpite | ver comentários (1) | favorito

Sábado, 3 de Julho de 2010

Estou revoltada. Assaltaram uma série de carros, incluindo o meu em pleno grande porto, em plena tarde, rua movimentada, com predios por todos os lados enfim. É inexplicável como há pessoas que se atrevem a assaltar uma série de carros na mesma rua e nestas condições. O mais curioso é que nada disto vai constar nas nossas estatísticas uma vez que são coisas abaixo de um valor (que ronda os duzentos e cinquenta euros se não estou em erro) e portanto, tudo o que acontece abaixo desse valor não existe segundo as estatisticas. ou seja estes actos de vandalismo e estes roubos não aconteceram em portugal e se dependesse deles eramos uma país imaculadamente seguro. Sinceramente isto assusta-me, quer a lata que os assaltantes têm e falta de medo de poderem ser vistos etc, quer o facto de as nossas leis permitiram que nada disto seja tido em conta e nada se faça. Somos um país que faz tudo para Inglês ver. Talvez outros também sejam, mas este é o meu. Do que nos vale parecermos muito bem lá fora, parecermos seguros e cultos se depois na realidade não o somos. De que vale não falarmos do estado da nossa economia, se ela está de facto como está. De que vale cortarmos nos salários, aumentarmos impostos etc se depois não cortamos nos gastos que não nos trazem qualquer retorno a curto ou médio prazo. Naturalmente se não temos dinheiro gastamos menos, se gastamos menos, produz-se menos, se se produz menos despedem-se pessoas e enfim, onde vamos parar. Axo que o governo perde tanto tempo a pensar em coisas desnecessárias e a debater soluções que na realidade não resolvem nada e deviam parar com os joguinhos partidários e tomar uma atitude responsável e pensar em coisas sérias e realistas. Qualquer dia a cortina cai e o "Inglês" não vai querer saber dos nossos problemas e vamos ser nós, os nossos filhos, os nossos netos a resolver os erros que se cometem agora.

See ya

escrito por sonhadoraincuravel às 20:48
link do post | dar palpite | ver comentários (2) | favorito

Sexta-feira, 2 de Julho de 2010

Esta é a letra do video que ta abaixo. está com uma pontuação esquisita porque andei a mexer nela para ficar mais de acordo com o texto lindo que é e axo que se se ler primeiro o texto se fica a entender tão melhor. É linda esta música. Ouvi-a numa novela e fui buscar e acabei por ver a cena do casalinho da novela que vai ser muito muito triste, fiquei tão triste de ver aquilo. Não sigo a novela mas o video tocou-me tanto é tão triste nem tenho palavras, não sei se ando sensivel ou se é mesmo a cena que está muito bem feita, mas quem quiser ir ver, tá no youtube, basta por a musica que aparece la videos desse casal. Bom e novelas aparte, a musica é mesmo linda.

 

"Pra você guardei o amor que nunca soube dar, o amor que tive e vi, sem me deixar. Sentir sem conseguir provar, sem entregar e repartir.

Pra você guardei o amor que sempre quis mostrar, o amor que vive em mim, vem visitar! Sorrir, vem colorir solar! Vem esquentar e permitir.

Quem acolher o que ele tem e traz, quem entender o que ele diz no giz do gesto, o jeito pronto do piscar dos cílios, que o convite do silêncio exibe em cada olhar.

Guardei, sem ter porque, nem por razão ou coisa outra qualquer, além de não saber como fazer pra ter um jeito meu de me mostrar.

Achei vendo em você! E explicação nenhuma isso requer.
Se o coração bater forte e arder, no fogo o gelo vai queimar

Pra você guardei o amor que aprendi vendo meus pais, o amor que tive e recebi e hoje posso dar livre e feliz.
Céu, cheiro e ar na cor que arco-íris risca ao levitar

Vou nascer de novo! Lápis, edifício, tevere, ponte!
Desenhar no seu quadril!

Meus lábios beijam signos feito sinos!
Trilho a infância, terço o berço do seu lar

Guardei sem ter porque, nem por razão ou coisa outra qualquer, além de não saber como fazer pra ter um jeito meu de me mostrar.

Achei, vendo em você!
E explicação nenhuma isso requer!
Se o coração bater forte e arder, no fogo o gelo vai queimar!

Pra você guardei o amor que nunca soube dar.
O amor que tive e vi, sem me deixar.
Sentir sem conseguir provar, sem entregar e repartir

Quem acolher o que ele tem e traz, quem entender o que ele diz no giz do gesto, o jeito pronto do piscar dos cílios, que o convite do silêncio exibe, em cada olhar.

Guardei, sem ter porque, nem por razão ou coisa outra qualquer além de não saber como fazer pra ter um jeito meu de me mostrar

Achei, vendo em você!
E explicação nenhuma isso requer!
Se o coração bater forte e arder, no fogo o gelo vai queimar."

 

See ya

 

 

escrito por sonhadoraincuravel às 22:27
link do post | dar palpite | ver comentários (5) | favorito

ora-deixa-ver-quem-é-esta-croma
Julho 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

11
13
14
15
16
17

18
20
21
24

25
26
27
28
30
31


últ. comentários
mais do que isso tou com preguiça de ler o que esc...
olá, como vais? este blog é bom se tiver pernas pa...
olá menina, como é que tu estás? saudades tuas.. v...
olá menina. então, como é que tu vais ? eu vou bem...
olá. já tinha muitas saudades tuas. como estás ? p...
olá! eu também ia cheia de esperanças, quando come...
ola responi tardeas respndi. Sim eu tenho POC e e...
Olá...andava a fazer uma pesquisa sobre poc e enco...
olá! saudades tuas. ainda bem que estás bem. vê se...
tive uma grande necessidade de apagar todos os blo...
favoritos

2009.

pesquisar
 
Fazer olhinhos
subscrever feeds

blogs SAPO


Universidade de Aveiro