saga de uma tímida/insegura/atrapalhada/parva cujo dom é sonhar

Sexta-feira, 25 de Fevereiro de 2011

Estou deprimida. Hoje o dia estava a correr igualmente bem como os ultimos dias têm corrido e agora com a dose de cansaço pelo ginásio e aulas e por coisas que nem me apetece falar aqui, nem para vocês que não me conhecem pessoalmente, comecei a axar-me tão estupida, tão parvinha. Não, não estou arrasada como estava ha uns tempos que me davam estas baixas de humor e ficava como ficava, mas epah, "ca granda parva que tu me sais-te sonhadora incuravel" é o que penso para comigo mesma. Bah, agora ia para um sitio que eu cá sei ver o por do sol e deprimir tudo de uma vez pra depois voltar e pronto estar tudo bem. Mas é de noite. Além disso fui a uma loja comprar umas coisas para o ginásio e experimentei varias calças e fiquei triste porque epah eu não sou propriamente gorda e agora no ginásio até tou mais tonificada e assim, mas epah sou larga, a minha barriga é finita mas larga e para comprar as calças do meu tamanho fica aquele aspectozinho que parece que as calças me tão a apertar na cintura mesmo que até nem estejam mas como tenho aquelas gordorinhas de lado da assim um aspecto que não gosto. Eu bem faço abdominais mas nem quando tava com anorexia, tava magra e as gordorinhas ali de lado estavam ligeiramente desproporcionais. Enfim, vi aquilo e não gostei porque não houve umas que me tenham ficado bem. Também não posso tar a gastar dinheiro lool. Era para haver um jantar do ginásio em que tinhamos que ir mascarados mas uma das minhas amigas que vai comigo ao ginasio não pode ir e irmos só dois não sei se me parece.Já estava assim sem saber do que me ia mascarar sem dar nas vistas e sem me sentir mal mas estava com vontade. Assim só nós os dois não sei. Tou a ficar melhor agora, porque desabafei aqui um bocado e porque falei com duas pessoas que se manifestaram logo mal eu disse que tava meio deprimida lool é bom receber assim esses carinhos, tou carente axo que é basicamente isso. E é que nem posso recorrer aos chocolates porque agora sou uma pessoa saudavel lool. Axo que tou com tpm como disse no outro post mas o p é de pós e não de pré, será possivel? Vendo bem até da minha cara tenho implicado, ando a achar a minha cara tão feia, com marcas das borbulhas, no outro dia disse ao P. que tinha ido a um dermatologista e ele disse que não tinha nada de especial ficou um bocado surpreso até me fez sentir bem lool mas não gosto não me sinto bem, a minha pele é uma porcaria na cara. Quando uso esfoliantes ou coisas para limpar bem a pele e as vezes até mesmo quando tomo banho ou lavo a cara só com água, fico com a pele seca até esfola em certos sitios, mas depois fica muito oleosa, não há base que aguente. E eu tenho que usar maquiagem porque com esta pele branca e as marcas sinto-me mesmo mal, preciso mesmo da maquiagem. Depois também nunca sei muito bem que base escolher, tou sempre a musar de opinião sobre as que compro e não é propriamente barato. Hoje também uma rapariga que conhecemos que anda lá no ginásio disse que para ficarmos tonificadas tinhamos que andar uns anos no ginásio. Epah uma pessoa fica logo desanimada. Não é que andar no ginásio seja um esforço porque gosto muito, mas se precisar de esperar uns anos para ficar tonificada fogo fico um bocado desanimada. Mas ela não deve saber o que diz lool. Opah tou assim mesmo tristinha, precisava de carinho lool que me dissessem coisinhas que preciso de ouvir. Ou então precisava de uma dose de abdominais, mais uns sessenta kilos pra empurrar nas pernas enfim lool se o ginásio estivesse aberto à noite ia pra lá libertar as energias. HHaja queem me ature. Espero que por aí esteja tudo bem.

See ya

escrito por sonhadoraincuravel às 23:31
link do post | dar palpite | ver comentários (1) | favorito

Sábado, 6 de Novembro de 2010

Fui-me abaixo, fiquei mesmo triste. Já nem sei o que disse aqui antes mas nem me apetece ler. No outro dia estava no Porto, vim das aulas e estive muitomal (ok ja me lembro que ja falei desse dia) mas depois no dia seguinte não fui às aulas. Fiquei na cama a manhã toda. Mandei mensagem ao T. logo às sete e pouco antes de ele ir trabalhar. A resposta não foi muito intusiastica nem eu esperava que fosse. Mais tarde mandei mensagem, falamos um bocado e disse-lhe o que tinha a dizer, porque não falava comigo, se preferia que eu saisse da vida dele para sempre ou se era aquele tempo que tinhamos falado para depois sermos amigos. No inicio axo que ele quis dizer que era melhor não nos falarmos mais porque ainda gostava de mim. Mas depois la continuou a falar comigo e disse que a partir de agora eramos amigos outra vez e não sei quê. Mas ainda lhe custa falar comigo e assim. Fiquei tão confusa. Já pensei tudo, ja pensei no que estava a fazer ao falar com ele, já pensei se não era mais facil continuar com ele, já pensei se posso sentir alguma coisa quando o vir, ja pensei na falta que o apoio dele me faz enfim. Tou carente e tenho um  medo enorme de ceder a isso. Era mais facil, saía mais, divertia-me mais, tinha alguém, enfim há sempre aquela ilusão de que se fosse assim eu ia ficar bem melhor e sentir-me melhor comigo e tudop ia correr bem. Eu sei que não é assim. Sei que estive quatro anos com ele e muito tempo não gostava dele da mesma maneira que ele e sei que estava à vontade com ele mas mesmo assim me sentia retraida em certas alturas e não estava a vontade com as pessoas mesmo que o tivesse la pra me proteger se me sentisse mal. Há sempre esse ilusão "será que eu agora não estou melhor, mais resolvida e as coisas não iam ser mesmo assim como eu imagino?". Tive medo de ceder a isto tudo. Estive mal mesmo. Vim a chorar pra casa. Sentia-me mal porque a minha mãe ia ver que estava assim e ia ficvar preocupada. Mas tinha que vir não estava a aguentar. Tinha dois testes no dia seguinte e não tinha estudado. Cheguei e falei com a minha mãe e fez-me bem. Axo que nunca tive tão mal. Há três dias que não consigo comer nada quase. Só consigo beber sumos e assim pra me manter de pé. Nunca me senti tão sem apetite é como se por dentro o meu corpo estivesse a trabalhar tanto que não consegue aguentar que meta alguma coisa no estômago. Mas falei com a minha mãe depois uma segunda vez e ela trouxe-me um  bocadinho à terra. Falou-me se não estava a falar com o T. e se ele sabia que era só amizade, se tinha a certeza disso, se não estava a mexer em coisas muito cedo. Isso deixou-me com medo, estou numa indecisão, estou entyre a ideia de estar a gostar de falar com ele, de desabafar algumas coisas e de estar a participar da vida dele e entre ele estar a ganhar algum tipo de ilusão, de estar a falar mas estar a sofrer com isso enfim isso tudo. Eu não puxo pela conversa, não estou a forçar absolutamente nada mas isso não me tira a culpa. Depois outra coisa que me começou a atirar abaixo foi saber das coisas dele, que estava a ser praxado, que estava a viver essas coisas todas da vida académica e fez-me pensar no quão insignificante é a minha vida. A minha mãe esteve-me a dizer que não posso viver pela vida dos outros, que lá porque axo que as pessoas fazem coisas muito melhores não quer dizer que seja verdade e não quer dizer que eu tenha que viver o mesmo que eles e que toda a gente tem problemas e toda a gente vive à sua maneira. Eu disse-lhe que não gostava da maneira que estava a viver que preferia ter coragem de fazer certas coisas que as pessoas fazem. Ela disse que tem tudo a ver com a maneira como eu vejo as coisas, eu vejo que tudo o que eu faço é mau, eu vejo que tudo o que eu sou é mau. E tem razão, eu sei disso. Tenho coisas más como toda a gente mas pioro tudo porque axo as coisas mais simples erradas em mim. Noto isso quando vejo que há dias que gosto de uma coisa ou estou tranquila com ela e outrops que odeio e não consigo viver direito com essa coisa. Também tenho pensado muito na faculdade. Toda a gente que fala disso ou que sabe a situação me fala em mudar o curso. Começam a ser muitas pessoas. Mas como posso fazer isso. Ia-me axar uma falhada para o resto da vida, ia ser sempre aquela que andou cinco anos na universidade para fazer um curso e resolveu mudar porque não conseguiu faze-lo. E depois há a questão de eu ter os meus problemas comigo e se mudar de curso não sei até que ponto os problemas vão continuar. Não sei. Não sei o que fazer. Aliás agora só posso fazer uma coisa, já tive mais convicção neste curso mesmo em alturas que estive desanimada mas pensei sempre claramente que tinha que o fazer, mas neste momento não posso muder de curso porque estamos no meio do ano, por isso vou continuar a tentar, a tentar por-me bem e no fim do ano, ou mais para o fim do ano penso nisso com mais afinco. Eu ja disse outras vezes isso e depois não penso muito nisso na altura que devia mas enfim. A verdade é que as coisas mudaram um bocado. Ontem saí com o P. falei-lhe um bocadinho disto, mas não entrei em grande pormenor.  às vezes axo que tenho um bocado de necessidade de explicar a essas pessoas porque é que as coisas me estão a correr mal na faculdade. Para às vezes não parecer que lá estou eu a queixar-me mas estar a cagar-me pra universidade. E ja me disseram que não me posso preocupar tanto com o que as pessoas pensam. É verdade. Mas é muito forte para mim. A minha mãe também me falou nisso porque entretanto tive uns problemas com um grupo com quem tinha que fazer um relatorio (ou pensei que tinha porque depois não era nada e eu quase desisti) e ela disse-me que não precisava me preocupar com o que as pessoas iam pensar de mim, "que interessa o que elas vão pensar, se pensarem pronto, se vierem falar contigo responde, explica, se não quiserem perceber paciência vais fazer o quê". Já ouvi este discurso antes,  mas naquele momento fez tanto sentido que me fez bem. Marquei consulta na psicologa mas só daqui a duas semanas. Acxo que lhe vou pedir pra me aconselhar uns anti depressivos ou qualquer coisa, axo que preciso pelo menos andar com eles na bolsa para evitar coisas assim, é que nunca me senti tão mal. Os ansioliticos não digo que não façam nada, axo que fazem alguma coisa, mas não fazem muito. Talvez ela me aconselhe alguma coisa para pedir ao meu medico. Entretanto com esta treta de não conseguir comer estou branca como a cal o que realça imenso a minha beleza e o cabelo cai-me em quantidades um bocadinho acima do que eu axo normal. Lá terão de vir umas vitaminas. E eu que não gosto de tomar medicamentos. Obrigada pela força. Hei-de levantar-me. Espero que estejam todos a ter um bom fim de semana.

See ya

escrito por sonhadoraincuravel às 16:35
link do post | dar palpite | ver comentários (6) | favorito

Terça-feira, 2 de Novembro de 2010

E foi hoje, depois de longos meses, que me descontrolei. Chorei baba e ranho, ainda choro. estou perdida, completamente perdida. Acendi dois cigarros, não adiantou de nada. O tabaco é a coisa mais fora da minha intediante existência que faço. Não sirvo pra nada. Sejamos sinceros, se não fosse a minha familia quem é que ia sentir a minha falta? Ninguém. Podiam chorar alguns, ter pena. Mas na pratica quem ia sentir a minha falta para além da minha família? Estou exausta. Exausta de aguentar, de ter aquele sofriento constante como se tivessemos aquela dorzinha de dentes que não é forte mas está sempre lá. É assim que me sinto, há sempre um esforço, um sofrimento todos os dias. Estive melhor desde que deixei a psicologa. Fiz alguma coisa sozinha, evolui ligeiramente. Mas fui-me abaixo. Tanto. Hoje voltei a sonhar com o T. com o que lhe dizia. Estou a ficar doida com isso. Esta situação fez vir ao de cima tudo o que estava la escondido, todos os problemas que eu fui fingindo que estavam melhores, que estava a aguentar. Não dura sempre aguentar essas coisas. Estou cansada. Não sei o que fazer. Não sei o que será melhor para mim. Não sei que raio de rumo é que posso tomar se a minha vida ja esta uma merda. É injusti dizer isto com a familia que tenho mas axo que ja todos percebemos que me refiro a mim, as minhas coisas e a minha vida sozial e com amigos. Sem amigos. Na semana passada falei com pessoas, saí mais. E depois? Não muda nada, continuo a sentir o mesmo por dentro, a confiança que ganho nessas situaçoes é tão pequenina tão pequenina. E eu precisava tanto de subir o meu animo consideravelmente. O saldo esta muito negativo. Não há uma pessoa neste mundo, a dizer-me gosto de ti. Uma só. Na minha familia está implicito e as vezes até é expresso mesmo mas tirando isso, não há uma pessoa a dizer-me isso. A mostrar-me que sente a minha falta. Não sentem. Podem gostrar de sair comigo até alguns. Mas se não sairem, saem com outras pessoas, a mnha presença ou ausência não lhes aquece ou arrefece. E agora diria a minha psicologa. Agora supostamente ta mal então faz-se alguma coisa para ficar bem. O quê? Aguentar um pouco mais? Sofrer um pouco mais? Estou farta. Não sei o que fazer, não sei lidar com as coisas, com as coisas simples, com a vida. Pensei que "viver" era um dado adquirido, era-nos dada essa oportunidade e apartir daí a gente vivia. Mas eu não estou a viver. Eu estou a sobreviver. E o que torna a coisa mais ridicula é que os meus problemas nem são graves. São simples. Podiam ser simples, não fosse a minha estranha e defeituosa existência. Sinto que o que me faz "ser" é um erro. Não está bem, não dá. Estou farta do meu curso. Não posso desistir dele. Estou farta de não me sentir capaz. Estou farta de não ser capaz. Estou farta de ter que ser capaz. Estou farta que as poucas decisões que tomei na minha curta existência me estejam a dar tantas dores de cabeça. As cisas até estavam a correr bem caramba. Estava mais ou menos calma. Porque é que isto veio tudo ao de cima. Uma coisa é certa, se vieram é porque estavam lá. E sejamos realistas, vai estar sempre. Não vai chegar o dia em que vai ser facil para mim conhecer alguém e vou dizer o que me apetecer sem ter o maximo cuidado. Não vai chegar esse dia. E com a maneira como eu vivo, quando é que vou conseguir uma amizade proxima? Como a que podia ter com o T? Nunca. E um amigo com o qual me apeteça pertilhar mais do que uma amizade sem pensar em todas as pressões que imponho a mim propria? Eu sei o quão dificil isso será ou seria. Ás vezes chego a não acreditar e a pensar "será que vou envelhecer sem ter outro namorado, sem ter uma coisa em que finalmente eu me sinta feliz?". Sou nova de mais para pensar isso. Mas com a minha maneira de ser, a maneira mesmo que às vezes esteja mais disfarçada.... não é assim tão descabido pensar assim. Hoje estou farta, muito farta. Talvez volte às consultas de psicologia. Disfarçar mais um pouco aquilo que sou. Espero que com voces esteja tudo bem.

See ya

escrito por sonhadoraincuravel às 16:55
link do post | dar palpite | ver comentários (8) | favorito

Domingo, 31 de Outubro de 2010

Hoje não estou muito bem disposta. Ainda acordei ha poucas horas e ja estou triste. Ontem sai com o P. e pessoal da secundaria e até foi bom. Fomos tomar cafe e ver algum pessoal da turma desse tempo cantar num café. Bom, houve alturas em que me senti mal, mesmo inibida, houve alturas em que internamente estava a pensar no que podia fazer para descontrair, houve aturas em que contrarriei pensamentos negativos, houve alturas em que não consegui contraria-los, houve alturas em que intervi e me senti normal, que vai sendo raro. Enfim, sai e isso é bom. Mas quando fico sozinha começa-me a vir à cabeça as coisas menos boas e as atitudes que eu tive e não devia ter tido e as coisas embaraçosas e isso tudo. E lá custa adormecer e la se acorda assim. Estou farta a sério. Estou farta por ser assim nestas situações. Não gosto de mim. Nesse aspecto não gosto de mim. Eu não gosto de medicamentos, não gosto de toma-los sem precisar mesmo mas se houvesse alguma coisa que me garantisse que me ia sentir melhor, que não ia  ter estes pensamentos, que não me ia sentir assim, eu tomava mesmo que implicasse alguma coisa mais dolorosa sei la. Ja estou a divagar mas a questão é que estou farta de me sentir assim. É um sofrimento que ta sempre la um bocadinho. De vez enquando parece que as coisas não são tão más e nessa altura realmente não sou, mas depois voplto a vir abaixo vezes sem conta e há alturas que é quase desisperante estar a sentir-me assim. Eu esta semana sai basyante, estive com pessoas, falei com pessoas, houve pessoas que não esperava que me viessem dar apoio enfim, houve coisas boas. Mas esta sensação sobrepõe-se. Não sei se é a questão do meu ex-namorado. Não sei se tenho sentido falta da amizade que tinha, de falar isto com alguém, porque com ele eu falava disto bastante abertamente ele sabia de um lado que se calhar so falo aqui. Mas por muito bom que seja e por mais aliviante que seja, por melhor que me façam os comentarios, não é a mesma coisa que falar para alguém qu nos da logo um feedback e que o dá sabendo tanto desse nosso lado como dos outros lados que todos temos. Enfim, hoje realmente não estou muito bem. Ontem falei com o P. sobre isso do ex namorado mas não sei se é por ser homem ou assim, não foi assim muito "aliviante" (e ja usei duas vezes esta palavra e provavelmente nem existe). Ele disse-me que se calhar ele não fala comigo porque tem medo que os sentimentos voltem a aparecer e assim, isso foi a unica coisa que realmente me aliviou. Apesar de eu ja ter pensado nisso é diferente ouvir isso de outra pessoa. Isso alivia-me no sentido em que se calhar não sou eu que tão mal, se calhar para ele e para os amigos dele a quem ele recorreu pra ultrapassar a situação, não serei a má da fita como muitas vezes ja imaginei que eles pensassem sei la. Mas se calhar sou. Só me apetece chorar. Já não choro praí desde fevereiro. Não sai. As vezes fico com os olhos cheios de água e depois não choro. Parece que penso "pra quê? não adianta". Não sei explicar. às vezes da-me vontade mas sei la.... também as vezes é falta de força pra isso. De qualquer maneira como é que vou ter uma amizade com ele. Sair com os amigos dele depois do que se deve ter dito de mim para ele ultrapassar o fim do namoro, não me parece ia-me sentir mal. Sair com a namorada dele, apesar de eu não gostar dele e ter a certeza disso axo que não me ia sentir àvontade. Mesmo que não goste dele, aquele lugar ja foi meu e é esquisito. Enfim.... tou mal hoje. Só queria sentir que não estou sozinha e queria saber o que realmente preciso para não me sentir assim porque sair pelos vistos não adianta. Sinceramente já não sei o que preciso. Tenho uma tristeza tão profunda, tão constante. Eu sei que há pessoas com problemas maiores, mais importantes, sei disso e penso nisso, mas o facto é que os meus problemas são tão pequenos e mesmo assim não si lidar com eles. Se é verdade que andamos aqui com um objectivo, com um roposito, a sério que não percebo o meu, não percebo. Obrigada pelo apoio. Espero que com voces esteja tudo bem.

See ya

escrito por sonhadoraincuravel às 12:42
link do post | dar palpite | ver comentários (3) | favorito

Domingo, 24 de Outubro de 2010

Hoje sonhei com o T. estava xeio de piercings e estava diferente lool. Não é saudades nem arrependimento de ter acabado com ele. Sonhei com ele porque falei nele durante o dia com a minha mãe porque axava que tinha visto o carro do pai dele. Mas pus-me a pensar ainda meia ensonada e fiquei na cama a pensar em coisas que me deixaram triste. Ele que se dizia meu amigo, ele que dizia que eu era a melhor amiga dele, ele que criticava os meus amigos que não se emportavam comigo, fez o mesmo substituindo-me por outras pessoas. Estou com raiva, estou zangada tenho que dizer. Não sei se tenho direito, não sei se estou a ser injusta. Confesso que me sinto um bocado mal por estar a sentir e a pensar isto dele porque afinal fui eu que quis acabar e se calhar fui eu que empatei a vida dele. Não tenho direito de estar zangada por axar que ele já esta melhor. Mas eu axo que vai para além disso, não estou a ser tão injusta como isso. As pessoas substituem-me com uma facilidade que não compreendo, mais, com uma frequência que me deixa sentir completamente ridicula. Foi mais um a retirar-me da vida dele. Não posso dizer que o fez com facilidade, eu sei que ele pediu pra deixarmos de falar para me esquecer. Só não pensei que fosse mesmo para esquecer que eu existir, para ignorar que eu estive na vida dele. Para não ter o minimo de interesse para saber se eu estou bem ou mal, para me eliminar do rol de amigos dele. Serei assim tão entediante? Será que a culpa é minha. è que com tanta gente (va, alguma porque nunca tive um gripo de amigos assim tão grande) a fazer o mesmo eu tenho que pensar que tenho algum problema. E isso deixa-me completamente deprimida. Que faço eu de errado. Eu sou tímida, sou insegura, preciso que as pessoas me segurem um bocadinho às vezes, mas caramba é assim tão mau. Não valho a pena para ninguém que deixei que me conhecesse. Não vali a pena para eles. Ou então tinham-se preocupado. E com o T. axo que foi injusto ele também. Eu não posdia continuar com ele sem gostar dele. Andei muito tempo e ele não sabe. Fiz varias coisas por ele aliás, para não o deixar mal. E ele não fez o mesmo por mim. Não estou a dizer que ele ia continuar a falar comigo sendo dificil para ele esquecer-me mas caramba, agora qual é a dele? Que mal lhe fiz eu para ele aparentemente estar zangado? Será que conheceu pessoas e descobriu que afinal mais vale eu nem andar com ele. Eu sei que sou diferente. Sei que não sou como a maioria das pessoas. Mas ele sabe que eu detesto isso, ele conhece-me melhor que qualquer amigo que eu tive. Estou farta de ser substituivel. Aliás estou farta de ser substituida por outras pessoas e de não ser suficientemente boa para as pessoas fazerem algum esforço por mim. E agora claro que dirão que não posso estar sempre à espera que façam tudo por mim que andem comigo ao colo. Mas eu juro que com esses, os unicos a quem considerei realmente amigos, por ter tido uma convivencia grande com eles, dei-lhes muito mais e a minha relação com eles foi muito mais fluida do que qualquer relação que eu tenha tido nos ultimos quatro para cinco anos com as pessoas que conheci entretanto. Ou seja, eles só precisavam de na primeira oportunidade que tivemos de demonstrar a nossa amizade, de o fazer. Eu sei que também não andei muito atrás deles, mas tentei falar com eles, perguntar como ia tudo. Eles nem isso. Estavam demasiado ocupados com a nova vida e as novas experiencias que ainda bem que tiveram mas, eu apesar de não me ter integrado tão bem na universidade, axo que nunca deixaria de lhes falar e de me emportar com eles como eles fizeram comigo. E agora com o T. mais uma desilusão porque eu sabia que era complicado mas depois de estar tudo bem, considerando que não nos zangamos não foi essa a razão da separação, esperava se calhar que ele voltasse a falar-me quando estivesse bem. Mas parece que não mereço isso e não percebo porquê. Não pedia que a amizade fosse a mesma até porque não xegamos a ser propriamente amigos mas passamos a ser namorados quase directamente mas esperava de o minimo de consideração e amizade. Em vez disso tenho desprezo. É assim que me senti logo de manhã. Triste, zangada, incompreendida, sem valor, confusa e deprimida. Ei sei que tenho que dar mais, tem que partir de mim porque nesta situação se não for eu a fazer os outros estão-se perfeitamente cagando mas as vezes é dificil eu não consigo, eu bloqueio e tenho estes dias em que estou deprimida e queria que alguem me viesse animar. A minha mãe e a minha familia fazem-no mas assusta-me e faz-me falta ter amigos. Tenho ido falar com o P. sou quase sempre eu a faze-lo mas vou. Tenho ido falar com a C. e ando a tentar marcar qualquer coisa com ela. Tenho falado com as raparigas e rapazes dos meus grupos apesar de a coisa se ficar pela aula pronto ja me da alguma confiança pelo menos a maior parte dos dias. Mas é triste sentir que se ficar trancada em casa o resto da vida, para além da minha familia, não tenho propriamente mais ninguém que se preocupe com a situação ou sinta falta de estar comigo. E ok, em vez de me lamentar tenho que fazer com que as pessoas sintam falta disso. Mas caramba, já não basta estar assim, star sempre xeia de medos, sentir-me mal comigo a maior parte das vezes, ter de fazer um esforço a dobrar para estar com as pessoas, sentir-me deprimida com frequencia e estar carente e ainda tenho que ir em busca disso. De manhã estive a pensar que já ultrapassei algumas coisas da minha cabeça como os problemas com a minha imagem, a anorexia, a certa altura também lidei melhor com a timidez e quando estava com anorexia, apesar disso até estava ligeiramente mais auto-confiante, lido com a POC, tive ataques de pânico, medos enfim, ja pensei em coisas e as ultrapassei e continuo aqui a enfrentar as coisas que eu proprio crio na minha cabeça mas a verdade é que apesar de tentar pensar nisso no sentido de me dar força porque tenho tido essa força, a verdade é que não sinto mesmo essa força não me sinto muito mais motivada. E é isso, para além de andar desmotivada com a universidade, ando desmotivada comigo. Bom e hoje o dia foi assim. Mas de tarde fui às compras porque na semana passada não consegui comprar assim grande coisa e tava a precisar de umas roupas e comprei o que precisava e pronto ja fiquei um bocadinho mais animada. Espero que esteja tudo bem por aí.

See ya

escrito por sonhadoraincuravel às 00:59
link do post | dar palpite | ver comentários (5) | favorito

Segunda-feira, 4 de Outubro de 2010

Desculpem se não tenho respondido e se tenho comentado pouco os blogs e assim.... a verdade é que sigo poucos e poucos me seguem, mas dou-lhes valor e normalmente gosto de comentar mas tenho andado um bocado à nora. Bom, na realidade ando melhor, estava a ver que não ia conseguir sair daquele estado.... estava a ver a coisas realmente mas. Mas a realidade também é que não se fica assim para sempre, há sempre alguma coisa que nos anima. Não sei exactamente o que me animou, mas estou melhor. Voltei a ter uma sensação de controlo sobre aquilo que quero e faço. Acabei de ler um comentario privado, aliás, que me fez aclarar muito as ideias. Também responderei assim que o ler com realmente a mente aberta porque sei que diz lá coisas que me dizem muito (passo a redundancia). Bom as aulas têm corrido normalmente, o meu grupo só com rapazes que eu pensaria de imediato que me ia sentir horrivel no meio deles se me perguntassem, é dos melhores grupos que já tive. Estamos sempre a rir e apesar de ter uns momentos em que me sinto mais inibida, tenho aprendido a controlar e vá, outras vezes não controlo mas geralmente estou bem e gosto de trabalhar com eles. Hoje a J. telefonou-me porque estava cateada com uma coisa e isso também me faz sentir um bocadinho importante para alguém. Nada de extraordinario, mas é bom. Estou a pensar combinar qualquer coisa com o P. e a C., talvez para o próximo fim de semana. Como somos poucos não quero que seja uma seca, mas também não quero tar a combinar nada de especial, só estar com eles e falarmos. Vou ver se eles se mostram receptivos. Hoje voltei a estar com o H. (estar é uma forma de dizer mas enfim lool) e voltou a haver aquela coisa toda, noto quando ele procura e tudo mais.... isso não me vale de nada nem a ninguém, mas enfim, levanta-me o ego. Estou com a cara toda estragada, nasceram-me um genero de bosbulhas dos dois lados da cara mas ficou esquisito. Parecem bosbulhas encaroçadas, espero que desapareça, etou farta de pensar nelas. Ás vezes lá dou por mim a pensar "pronto, olha estão lá, não vale a pena estar a esconder uma coisa que está bem no meio da minha cara" mas se noto um olhar a desviar-se para lá fico logo toda atrapalhada, mas enfim. Hoje apetecia-me sair, mas não tá ninguém pela net, provavelmente ja devem ter planos. Aliás, anda-me a epetecer sair e beber até ficar bem alegre, por mais idiota que isso seja. Uma coisa que tenho notado, voltando á faculdade, é que me sinto mal quando estou no meio das pessoas tipo quando estamos à espera que os professores cheguem e tá tudo a falar, ou ta um grupinho a falar e eu acabo por ficar ali meio a ouvir a conversa meio aparte.... aí sinto-me mal, parece que não tenho o que fazer e parece que  as pessoas estão a tentar perceber qual é a minha. Quando estou com pessoas com quem já falo, tipo quando entro na sala ou no laboratorio e estou com o meu grupo ou assim, aí estou mais descontraida. Não completamente mas vou estando. Isso é que me dá algum ânimo porque vejo que sou capaz e, sejamos sinceros, porque tenho a sensação que mudei um bocadinho a opinião de alguém sobre mim, mais uma vez, por mais idiota que isso seja. Amanhã vou ver se compro o ansiolitico, finalmente, faz-me falta, acho que me faz falta. Já devia ter ido á psicologa mas tenho deixado para depois, talvez porque tenho tentado lidar comigo, ver como estão de facto as coisas na pratica. Esperei por isso que as aulas começassem e acabei por ir lidando sozinha com as coisas apesar de ja ter estado bastante mal. Vou esperar um pouco antes de voltar lá. Sei que vou precisar eventualmente, ajuda-me a clarear as ideias. e quando estou assim consigo delinear objectivos. Pra já não tenho nenhum objectivo. Quer dizer, estou à espera que comecem umas aulas no ginásio. Apesar de ter pouco tempo devo-me inscrever. No outro dia fui lá e mal me vi ali o pensamento foi "e quando chegar aqui com as raparigas todas produzidas e gente e depois olharem para mim e depois não sei que figura vou fazer e depois qual é o meu papel no meio das pessoas que estarão aqui". Comecei logo a pensar nos inconvenientes e no que ia ter que ultrapassar e tudo mais. Ultrapassei isso, fui lá dentro e vim com vontade de não estar a pensar nisso, simplesmente fazer as coisas que quero fazer. Vou estar atenta para ver quando começam as aulas. Bom, amanhã não tenho nada para fazer, vamos almoçar por cá e provavelmente vai ser comer e dormir.... só se o P. quiser ir tomar café mas não sei. E é isto, depois de um mau estar forte e que talvez nunca tivesse sentido daquela forma, começo a ganhar ânimo outra vez. É isto que eu sou neste momento, sempre aos altos e baixos.... mas hei-de conseguir manter-me em cima como eu costumava ser. Hei-de encontrar as razões para me manter assim. Obrigada a quem tem ajudado! Aprecio muito os vossos comentarios. Obrigada!

see ya

escrito por sonhadoraincuravel às 22:04
link do post | dar palpite | ver comentários (4) | favorito

Quinta-feira, 30 de Setembro de 2010

Estou triste hoje, ainda estou triste. Estou em baixo e estou cansada de estar assim. Hoje sonhei com o T. e os amigos dele, nomeadamente a S.. Sonhei que não estavam a querer que eu estivesse com eles ou qualquer coisa e eu estava a sair da minha casa e eles ficavam lá. Comecei a chorar e disse à S. o que tenho pensado, disse que não tinha feito nada de mal para ão gostarem de mim, que não podia continuar com o T. se não gostava dele e enfim. Disse isso tudo enquanto o T. estava lá em cima mas eu sabia que ele estava a ouvir. Desabafe tudo e chorei. A S. acabou por me abraçar axo eu. Depois vinha o T. mas eu virei costas e fui andando a chorar e ele veio atrás e deu-me um abraço. Mas eu não tinha a certeza se queria aquele abraço. Enfim. Sonhei isto a noite toda acho eu, e chorei muito. Acordei com um animo que se pode imaginar. De cada vez que estou um bocado parada penso nisso. De cada vez que penso, penso nisso. Estou mesmo triste. Isto está-me a ocupar a cabeça mais do que devia. Faz-me lembrar de coisas e pensar em coisas que se calhar não devia, mas não consigo evitar pensar nisso. Já estive triste, já chorei muito, já achei que estava mesmo mal. Mas agora, acho que estou num limite. Se calhar já chorei mais, já esperneei muito, mas agora estou calmamente triste. E ainda é mais sufocante. É como estar a ver-me a mim própria de fora e não conseguir fazer nada por mim. Já não acredito em grande coisa, estou desmotivada. Dantes acho que acreditava sempre que ia melhorar, que tinha que melhorar, que há fases para toda a gente. Mas agora não consigo acreditar nisso, não consigo sentir isso como verdade. Como é que eu saio desta? Não sou como as outras pessoas, não pareço como as outras pessoas, capto atenções por motivos que me desagradam e arrasa-me saber o que as pessoas pensam de mim. Claro que às vezes penso isso e as pessoas não pensam sempre o que eu acho. Mas eu não sou idiota. Sei exactamente que tipo de pessoa sou aos olhos delas. E eu sou tão mais que o que mostro. Mas não consigo mostrar mais. estou cansada de tentar. Estou cansada de acreditar e me desiludir. Como é que eu saio desta? Estou mesmo triste, não percebo sentido nenhum em mim e nas coisas que faço. Hoje na aula sentei-me perto do H.. Estavamos só três na aula. Nem sabia o que fazer, mexi na caneta, no telemovel. Ele as vezes olhava para mim. Depois chegou gente e uma rapariga veio falar comigo por causa de um trabalho prático e ele ficou a olhar para mim. Eu gosto que ele note que eu estou ali, sinto alguma diferença no olhar dele, uma diferença que eu gosto. Mas senti que ele estava a olhar porque nunca me vê propriamente a conviver com ninguém por lá. E pus-me a pensar. Sou mesmo um bichinho, o facto de falar e estar à vontade com alguém é motivo de curiosidade. Não era assim que queria ser. Mas não consigo controlar. Já tentei, a sério que tentei. Continuo a tentar mas às vezes dou por mim a sentir-me tão retraida e quando fico sozinha sinto-me de maneira diferente e aí é que noto como me estava a sentir. Gostava de olhar pra ele quando ele esta a olhar para mim, só para mostrar atitude, nada que tenha a ver com sentimentos, digo isto em termos de mostrar que não sou assim tão diferente, que não sou uma anormalzinha enfim. Mas como é que quero fazer um esforço tão grande para mostrar coisas que não sou. Hoje pus um comentario no facebook para adicionarem o mau e-mail porque não estou a conseguir aceder ao outro. Uma pessoa adicionou-o. E é minha prima. Que é que eu ando aqui a fazer. Sou ridicula e insignificante, por mais que alguém me diga que não a verdade é essa. Precisava de uma injecção de adernalina, ou boa disposição.

See ya

escrito por sonhadoraincuravel às 22:18
link do post | dar palpite | ver comentários (2) | favorito

Terça-feira, 6 de Abril de 2010

Por motivos que me são alheios as fotos que pus no ultimo post aparecem lentamente vão aparecendo aos bocadinhos, deu-me um trabalhão po-las no post porque já para coloca-las demorava muito tempo para cada uma mas enfim, fiz o meu melhor lool. Espero que tenham tido uma boa páscoa, a minha teve muitas peripécias, correu bem. A prenda que dei à minha afilhada vinha com defeito de fábrica e agora não sei do tiquet mas vou ver se me trocam. E é assim, voltei a casa, encontrei uma amiga que já não via há muito mas enfim, como não sou normal fiquei com uma sensação má em vez de ficar contente por ve-la até porque gostava dela. Mas enfim, sou assim. Ela estava com o namorado que também estudou comigo um ano e por acaso é amigo do T também. Ela estuda Medicina e é daquelas pessoas que uma pessoa olha e parece que lhe é tudo tão fácil. Não me interpretem mal, não tou a dizer isto no mau sentido, digo isto porque para além de ela ser naturalmente bonita, é muito decidida, inteligente, estuda que se farta, mas está sempre bem disposta nunca a vi por exemplo cansada de ter ficado a estudar até tarde para tirar um vinte. As coisas para ela parecem muito naturais, mas sei que ela trabalha muito para tar a tirar o curso de medicina e manter o namoro com uma essoa que nem estuda perto dela e conseguir sair e divertir-se quando pode. Além disso os pais não queriam que namorasse por isso no inicio foi tudo às escondidas mas enfim. Ela está sempre na boa. O curso ao que sei corre bem, não chumbou nunca, as notas agora não são tão brilhantes como antes mas faz um esforço muito grande para ter o que quer e aposto que vai ser um optima médica. E ando aqui eu que parece que ou não faço esforço ou não sei como fazer sei lá. Sinto-me mal comigo, parece que ando aqui a engonhar não faço nada da vida e continuo sempre igual. É frustrante. Não me sinto daquelas pessoas determinadas que fazem um esforço e batalham pelas coisas que querem etc. Eu nem sei bem o que quero. Tou farta de ter pena de mim mesma sinceramente, tou-me sempre a queixar e vejo-me sempre como a desgraçada que nem sabe bem o quer quer, nem sabe bem o que quer fazer, nem sabe muito bem como faze-lo e nem sabe bem como é em certos aspectos, às vezes. Parece que ando sempre na dúvida, que as coisas não são claras, são incertas, e muitas vezes sou eu mesma que não defino bem as coisas quando devo. Ás vezes tenho orgulho do que sou, dos valores que me foram dados, da maneira como vejo as coisas. Outras vezes olho para mim e penso que é que ando aqui a fazer. O que é que contribui a minha existência para a humanidade, que diferença faço. Nem para aqueles que já foram meus amigos a minha existência faz diferença, quanto mais para as outras pessoas. Às vezes perco a vontade. não sei se quero fazer algum esforço, se é que já fiz algum sei lá. sinto-me um bocado perdida sem saber pra onde me virar. Axo que ando à espera que as coisas me caiam do céu, que seja como nos filmes, mas a vida real não é como nos sonhos e a maneira como vivo não me vai tirar do sitio onde estou desde sempre. Com estas férias o que me apetece é ficar assim, de férias, sem ter que estar com as pessoas, comodamente junto dos poucos com quem me sinto bonita, com quem me sinto importante. Porque quando estou com outras pessoas, mesmo que não as conheça, mesmo que só passe por elas no centro comercial sem dar uma palavra, já me sinto mais pequena, mais feia, mais sozinha, mais sem importancia. Até andava com outro estado de espírito mas sei lá, às vezes parece que estamos a dar um sentido às coisas, a caminhar para algum lado mas depois percebemos que nos estavamos e iludir que não estavamos a fazer nada de extraordinário. Enfim, estou num dia menos colorido e sem grande razão para isso. O texto concerteza que não interessa ao menino Jesus mas como diz o Lynce, há que escrever mesmo que ninguém leia, para aliviar e para por as coisas mais claras do que quando nos passam na cabeça.

See ya

escrito por sonhadoraincuravel às 14:21
link do post | dar palpite | ver comentários (2) | favorito

ora-deixa-ver-quem-é-esta-croma
Janeiro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


últ. comentários
mais do que isso tou com preguiça de ler o que esc...
olá, como vais? este blog é bom se tiver pernas pa...
olá menina, como é que tu estás? saudades tuas.. v...
olá menina. então, como é que tu vais ? eu vou bem...
olá. já tinha muitas saudades tuas. como estás ? p...
olá! eu também ia cheia de esperanças, quando come...
ola responi tardeas respndi. Sim eu tenho POC e e...
Olá...andava a fazer uma pesquisa sobre poc e enco...
olá! saudades tuas. ainda bem que estás bem. vê se...
tive uma grande necessidade de apagar todos os blo...
favoritos

2009.

pesquisar
 
Fazer olhinhos

blogs SAPO


Universidade de Aveiro