saga de uma tímida/insegura/atrapalhada/parva cujo dom é sonhar

Segunda-feira, 27 de Setembro de 2010

Este fim de semana estive sem net e custou-me imenso até porque precisava mesmo de desabafar. Sai com dois amigos na sexta e no sábado mas não estava bem por várias coisas e continuo com aquela coisa na cabeça por causa do T.. Eu sei que não tenho direito de pensar assim ou sentir isto, mas não consigo evitar. O facto é que justa ou injustamente eu fico triste por ele ter resolvido simplesmente fingir que eu não apareci na vida dele. Afinal era fácil para ele. Afinal eu é que tava mal, eu é que quis acabar e ele ficou mal por eu querer acabar e estava tão bem, mas afinal ele é que está melhor agora. Estou um bocado com medo do que ele tenha dito sobre mim já, tenho alturas em que dou por mim a pensar nas conversas que os amigos terão tido com ele quando ele me andava a tentar esquecer, do género "ela também não vale a pena, ela não era nada de especial, estás muito melhor sem ela, ainda bem que não tas com ela". Sei lá. Isso não faz sentido nenhum. Mesmo. Mas eu penso nisso. E fico mesmo triste por ele já não estar mal aparentemente, mas continuar a fingir que eu não existo. Se já tá bem, que mal é que eu lhe fiz para me ignorar. Eu não gosto desse sentimento, não gosto que não gostem de mim, há quem não se emporte, o que faz sentido é querer saber de quem gosta de nós, mas eu basta não falarem comigo um tempo que começo a pensar que mal fiz, porque é que a pessoa está assim, será que está zangada e coisas assim. Depois, no domingo até acordei bem disposta, tentei que os meus pais quisessem ir sair mas ninguém quis, a minha mãe disse que saia comigo e quando chegou a altura disse que não e eu fiquei mesmo irritada. Vesti-me e fui sozinha, como sempre, andei de carro, gastei carradas de gasoleo porque andei sempre a abrir por uns sitios mais desertos, fui à minha avó só para não desatar a chorar sozinha e enfim, foi assim o meu domingo. Depois a minha mãe percebeu que eu não tava muito bem disposta e começou logo por dizer que não tinha nada que estar assim, que não era motivo, que queria sempre sair, qual era o problema de estar em casa. Eu irritei-me e disse-lhe que não cheteei ninguém, não quiseram sair comigo, saí eu mas não me podiam obrigar a ficar bem disposta. Disse que eles até podiam estar numa altura que não se emportam de ficar a descansar em casa, mas que eu preciso de ver gente e preciso me distrair, sozinha não dá, estou farta. Não sei se tinha razão ou não para estar assim, mas estava. Tudo bem, sai com amigos, já não saia ha algum tempo, mas que querem que faça, que me contente com uma excepção. Não é por ir tomar café com a minha mãe que vou conhecer pessoas, mas pelo menos não penso nisso. Hoje também apanhei um transito enorme não cheguei a tempo das aulas. Tentei aceder ao meu e-mail e aquela porcaria não dá por mais que eu tente mudar a password não dá já estou farta destas coisas, parece que não funciona só para me irritar. Agora à tarde vou ter duas práticas e não me apetece puxar pela cabeça, não me apetece mesmo. axo que não tenho grupo a uma por isso inda vou ter que arranjar. A sério que stress. só queria acalmar, queria estar bem, que alguém se preocupasse, se interessasse. Não me sinto bem e nem sei qual é a solução para isto. Mais do que triste estou irritada, estou mesmo nervosa e stressada. Gostava de gostar de sair para os mesmos sitos que as outras pessoas, beber uns copos, fazer umas figuras tristes, voltar para casa ou dormir na casa de um amigo qualquer, enfim. Mas não gosto, e fica tudo mais dificil. Pode ser que durante a semana dê para sair com a C.. E vou estudar toxicologia agora para ver se me animo.

See ya

escrito por sonhadoraincuravel às 11:49
link do post | dar palpite | ver comentários (1) | favorito

Sábado, 25 de Setembro de 2010

Ontem fui sair com a C. e foi muito fixe, fomos almoçar, ela fazia anos ficou contente com o meu presente, não estava a contar e foi o primeiro que recebeu ontem. Falamos muito. Contou-me uma coisa que não estava à espera. O T. anda com outra rapariga, uma que já conhecia, já tinhamos estadop com ela quando estavamos juntos até. Bom mas a questão é que foi um bocado um murro na barriga, não posso deixar de dizer. Não sei porquê, eu não gosto dele, sei disso, ou melhor, se calhar até sei porquê, por mais parvo que seja ou mais mesquinho a verdade é que é chato ele andar em frfente antes de mim. Fui eu que o deixei mas a verdade é que ontem quando fiquei sozinha e pude pensar nisso foi como me sentisse abandonada. Depois parece que ela ficou a saber disso pelo facebook e ele pelos vistos anda pela net e bloqueou-me, nunca disse nada, nem sabia que tinha facebook. Isso magoa-me um bocado, onde estava aquela amizade toda que ele dizia que tinha e que se um dia acabassemos que ele ia continuar a ser meu amigo. A certeza com que ele me dizia isso. Que raiva, a sério, não sei se tenho direito de sentir isso, ele tem direito a fazer o que quer da vida, mas a verdade é que me irrita isto tufo. Irrita-me sobretudo porque eu quis acabar, ele ficou tão mal e nem podia falar comigo e andou numa psicologa por causa disso mas já se está a divertir e anda perfeitamente bem, e eu ja andei aqui com os meus stresses, e eu que fiz isso, de deixar de namorar com ele, como se fosse um inicio de uma mudfança, para me conseguir dar melhor com as pessoas, para sentir as coisas mais claras, enfim, tudo o que falo aqui, e afinal ele anda-se aí a divertir (e ainda bem para ele) e eu é que ando aqui assim. Eu não lhe desejo mal, não é nada disso. Mas eu axo que as pessoas me vão compreender, quem já passou por isso. Eu já vi muita gente a dizer que é chato quando a outra pessoa segue em frente antes de nós. Pensei que não me ia acontecer isso porque ele tentou-me meter ciumes com aquela rapariga uns tempos depois de acabarmos e eu não senti nada. Mas agora sinto axo que a amizade que havia ferida.Eu sei que eu não gostava dele e por isso era mais facil para mim continuar a amizade e para ele não era tão facil, mas também.... epah não consigo deixar de axar um bocado que ele foi egoista. Eu andei com cuidado com ele muito tempo e ele não teve o minimo comigo, foi tudo à volta dele vendo bem as coisas. Enfim, eu nem sei se tenho direito de pensar nisso. Mas sinto-me excluida percebem, completamente excluida, foi como se ele dissesse que já que não queria namorar com ele, que também não lhe sirvo de nada por isso posso ir à minha vidinha que ele me ignora completamente. Detesto isso. Detesto sentir-me ignorada. Estou sempre a ser ignorada, ou pelos amigos ou por ele, que no fundo também contava que fosse um amigo. Enfim, estou um bocado em baixo com isto. Mas sabem que mais, ontem quando me ia a sentir assim no carro, mandei uma mensagem ao P. para irmos ao cinema no fim de semana. E ele aceitou, ficou todo contente. E é engraçado, porque quando haviam outros amigos, na universidade, mal o podia ver e ir gastar dinheiro ao cinema comuigo ou para vir ter comigo, nem pensar, agora que está sozinho à espera de emprego e assim, já não há problema, já pode ir ter comigo e anda como eu andava ha uns tempos. Eu fico ressentida com isso, não vou dizer que não fico, mas enfim, é assim.  Vou tentar sentir esta "raiva" mais vezes, não me esquecer dela, sair, divertir-me, não pensar no que os ouytros vão pensar, enfim, viver. Eu sei que isto é a quente, depois não é bem assim, mas tenho que fazer alguma coisa caramba. Eu andava aqui de pé atrás com falta de vontade de sair com o P. e pra quê. Vai ser bom, vou falar. Aliás mesmo com a C. já estava com pouca vontade de ir. Estava a contar demorar pouco tempo e ir a um sitio perto. Quando ela me disse para irmos de metro mais longe fiquei assim um bocado chateada mas não lhe disse que não e a verdade é que foi optimo. Se eu me deixasse levar assim mais vezes. Fez-me um bem falar de tudo com ela. Eu sei que ela é desvairada, diz tudo o que lhe passa pela cabeça, em qualquer lugar mesmo que as pessoas oiçam, mas isso dá-me a sensação de que se disser uma coisa muito estúpida, ela já vai ter dito pior lool. Enfim, preciso mesmo sair, conhecer pessoas, ser feliz. Ando aqui com coisas  que não significam nada, ocupo a minha cabeça com elas e nem acontece nada nem eu faço nada, pra quê. Outra coisa que me chateia em relação ao T. mas isso já vbem de algum tempo é que tenho medo do que ele diga de mim às pessoas, eu sei que ele pode dizer coisas a meu respeito, sei como ele é, e sei que se vai fazer de vítima em muita coisa. Há coisas que ele sabe que eu não quero que ninguém saiba, e tenho medo de a quem ele já possa ter dito, porque quase de certeza que ele já disse a alguém. Não gosto de ter a sensação que as pessoas tenham ideias erradas a meu respeito. E a minha psicologa diria "e depois?" mas eu sinto isso, sei que não preciso mas sinto mesmo. Vou tentar abstrair-me disso. Fiquei um bocado abalad com aquilo. Ele tem o direito de ser feliz, mas é como se fosse um atestado de "tu estavas errada, tu é que tens problemas, tu é que tens dificuldade, tu é que és o mal disto tudo". E na verdade, em parte, sou. E posso fazer alguma coisa, mas o pior é isso, posso. Mas bloqueio. No outro dia, li no livro que dei à C., uma crónica que falava da timidez e que dizia que devia ser uma doença dos "catálogos" da OMS (o autor é bastante ironico). Até axo que vou fazer um post com algumas cpoisas queb ele diz, porque faz muito sentido. Sabem o que vos digo. Estou farta, farta de ser assim, farta de ter medo, farta de ser a mosquinha morta que está no meio das pessoas assustada como um ratinho, farta de ser tão tímida, farta de pensar tanto nas coisas, de imaginar o que pode correr mal, de não controlar isso, de isso ja me vir em forma de sensação e não de palavras na minha cabeça que controlaria mais facilmente. Estou um bocado irritada como se vê. Mas sabem que mais, estou a sentir-me com mais força. pode ser temporário mas estou. Depois de uma semana com noites mal dormidas e londe de casa, não vim logo para casa ficar muito confortável, fui sair e vim mais tarde, pronto, é muito bom voltar a casa mas em casa eu não evoluo, pelo menos nos termos que perceberão. E hoje de manhã cá estou eu a tratar da minha vida. Logo já tenho o que fazer. À noite já tenho o que faz<er. E amanhã não tenho muito que fazer mas vou arranjar. Ficar parada e confortavel é que já não tá a dar. Se ele tinha tanto am or por mim, tanta amizade, e pode andar aí a divertior-se e a andar com outras namoradas ou o que seja, porque é que eu não posso andar feliz da vida j´+a que fui eu que quis, fui eu que fiquei melhor assim. Estou farta de ser a coitadinha. Não sei se o pensamento me vai mudar, mas é assim que está agora e parece-me que assim é que devia estar. Bom fim de semana a todos.

See ya

escrito por sonhadoraincuravel às 10:41
link do post | dar palpite | ver comentários (1) | favorito

ora-deixa-ver-quem-é-esta-croma
Janeiro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


rabiscos recentes

...

moving on

últ. comentários
mais do que isso tou com preguiça de ler o que esc...
olá, como vais? este blog é bom se tiver pernas pa...
olá menina, como é que tu estás? saudades tuas.. v...
olá menina. então, como é que tu vais ? eu vou bem...
olá. já tinha muitas saudades tuas. como estás ? p...
olá! eu também ia cheia de esperanças, quando come...
ola responi tardeas respndi. Sim eu tenho POC e e...
Olá...andava a fazer uma pesquisa sobre poc e enco...
olá! saudades tuas. ainda bem que estás bem. vê se...
tive uma grande necessidade de apagar todos os blo...
favoritos

2009.

pesquisar
 
Fazer olhinhos
subscrever feeds

blogs SAPO


Universidade de Aveiro