saga de uma tímida/insegura/atrapalhada/parva cujo dom é sonhar

Quinta-feira, 25 de Novembro de 2010

Ando muito ausente do meu blog. Por isso tenho várias coisas para falar. Tenham medo. lool Na verdade têm-se passado coisas muito simples, mas muito boas. Fui à psicologa no fim de semana. Marquei depois daquela crise de choro. Na verdade no dia anterior estava a pensar o que ia dizer e porque ia etc etc. Porque ja estava melhor, mas tinha sentido a necessidade de ir por isso não ia faltar. Chegando lá contei o que se tinha passado falamos sobre várias coisas. Falamos sobre as minhas saídas, o facto de ter conhecido pessoas etc. Ela disse-me a certa altura no final da consulta que a certa altura pensava que eu não queria mudar. Não sei em que altura ela pensou isso mas o facto é que me lembro de uma altura em que dei por mim a dizer "ah aquilo é giro se calhar vou fazer" não fazia, "ai mas aquilo ainda é mais interessante se calhar vou fazer" e não fazia e andava assim. Andei meia perdida. A cena do T. também falei e ela disse uma coisa que fez muito sentido, eu se calhar tive assim um atestado de "ele não precisa de mim pra nada" e isso custou muito porque no fundo continuava a ser aquela segurança que tinha de que podia mais ninguém gostar de mim, ser meu amigo mas tinha lá o T. que nem me falava por gostar tanto de mim. É egoista mas ela até me falou dos casais que se divorciam, arranjam novas pessoas e mesmo assim ainda sentem ciumes uns dos outros mesmo sabendo que não gostam dos ex maridos ou mulheres. É engraçado isso. Mas é por ai o que senti. De vez enquando recebo uma mensagem do T., axo que mexi com os sentimentos dele ou então estavam ainda mais mexidos do que pensava, ele manda-me mensagens a falar sobre a falta de importância que eu lhe dei tendo ele feito tanto por mim e a importancia que dei aos meus amigos tendo eles feito coisas que fizeram. Ele para além de ser um bocado dramático (não substimando o que ele sente) é filho unico e tem esse sindrome de ser muito correcto e de as pessoas serem más ou injustas pra ele. Eu tento dizer-lhe as coisas e explicar-lhe que as coisas não são como ele as vê, que pode vê-las por outro angulo e que se eu quisesse por as coisas daquela forma também podia mas não quero. Tenho medo que a minha tranquilidade agora com esse assunto seja porque sinti que ele não esta tão bem como eu pensava. É muito mau o mal dos outros ser o nosso bem, não me sinto bem nesse papel mas também tenho que pensar que mesmo que seja assim não o faço por maldade faço-o por defesa talvez para defender os meus sentimentos, e a verdade é que não estou a projudicar niguém por sentir isso. Bom mas a psicologa também me falou acerca dos meus amigos. Disse que eu não posso esperar que sejam eles a vir ter comigo, que sejam eles a perguntar, que s calhar tenho que parar de ser exigente assim com eles e ir eu ao encontro deles como, aliás, já fiz. E ela tem razão. Eu axo que tive motivos para me afastar mas a verdade é que também me tenho apercebido disso ao sair com eles, é que eu propria mandei essa mensagem de não estar interessada em estar com eles e assim. Eu sei os meus motivos em cada situação e assim, mas eles so receberam a minha indiferênça. Se calhar quando eu recebi a deles também não foi simplesmente porque náo se interessaram por mim. Enfim, a melhor maneira de resolver essas coisas é estando com as pessoas, falando. E é isso que tenho feito. Tenho estado com as pessoas, tenho saído. E se vir bem as coisas, não senti por muito tempo necessidade de ir à psicologa, não sinto ha muito a necessidade de tomar os ansioliticos. Não me posso dar tanta importância nem estar sempre a ver-me como coitadinha. Não posso estar à espera que as coisas fiquem bem quando tudo correr emaculadamente. Tenho que ter dias maus, tenho que ter preocupações enfim, toda a gente as tem. Estou a aprender de facto e relativizar as coisas e se estou com alguma preocupação, epah, qual é o pior que me pode acontecer se alguém daquele grupo estiver chateado e achar que eu não fiz alguma coisa etc? Epah ou fala e eu explico ou então não fala e ficamos todos contntes lool. Tenho que dizer que pela primeira vez, desde ha muito tempo, me estou a sentir mais genuinamente tranquila. Melhor. Sinto-me feliz. Isso não se paga. É optimo olhar para o que tenho e para além se saber que é bom, senti-lo que é coisa que eu não fazia tão bem. Axo que mais do qu uma fase boa, é uma maneira diferente de encarar as coisas e eu prevejo que isto seja uma coisa mais permanente do que uma fase boa. Como disse, estou tranquila e isso é muito bom. Uma boa semana a todos.

See ya

escrito por sonhadoraincuravel às 14:30
link do post | dar palpite | ver comentários (6) | favorito

Quarta-feira, 18 de Agosto de 2010

Ando com pouca vontade de vir cá escrever. Não tenho ido ver os blogs das outras pessoas, enfim as vezes até nem me apetece ligar o computador só o facto de o abrir dá-me logo aborrecimento lool. Ainda não fui à psicologa, tenho ido para a praia no fim de semana e o dentista também tenho que marcar. Não me ando a sentir bem comigo, parece que toda a minha roupa agora me parece feia e não me fica bem parece que quando olho ao espelho vejo que afinal aquilo não me ficava nada bem, a minha mãe já se irritou comigo e a brincar nem me deixou olhar para o espelho antes de sair. Tenho estado com os habituais humores ou mais bem disposta ou mais rabugenta. às vezes sinto que estou a ser rabugenta de mais mas sinto que tenho razão, acalmo-me mas realmente vejo as coisas assim então fico zangada, ou porque pegaram no meu carro ou por outra coisa qualquer sei lá. Às vezes ponho-me a pensar no inicio da universidade e começo a stressar, imagine-se, que não tenho roupa de jeito que me faça sentir bem para não chegar lá e estar a sentir-me mal. Hoje também estive a pensar que as ferias ja vão avançadas e pensei que depois vinha o inverno e pensar no frio e assim deixa-me deprimida. Estou ansiosa pelas aulas, pelo horario, pelas aulas práticas, pela minha reacção. Eu sei que não tenho que stressar com isso e este tipo de raciocinio é parvo e ja estou a pensar nas coisas assim e ainda as condiciono por estar a pensar assim mas no ano passado estava bem disposta, estava com vontade de ir às aulas e sentia-me bem e cheguei lá e tive um ataque de pânico quando cheguei à sala. Eu sei que isso não me vai acontecer sempre só porque aconteceu no ano passado mas estou ansiosa com isso estou nervosa. Eu tento-me controlar às vezes sinto que me estou a controlar e a não fdar espaço a essas ideias, mas às vezes as coisas parecem tão claras que não consigo contraria-las ou ficar calma com elas. Hoje estive a ler as normas da escola e tive uma sensação de gostar de estar lá senti que realmente apesar de tudo, se isolar o facto de estar a fazer um curso como este e assim eu tenho uma motivação e pensar no dia em que tiver o curso feito parece longe mas tão bom. Bom e quanto à minha amiga que vinha passar férias a nossa cidade e me ia dizer qualquer coisa, não disse até agora. Eu sei que ela tá de férias e deve estar cá mas não me disse nada. Eu sei que podia dizer qualquer coisa, mas depois da desilusão dos meus anos sinto pouca vontade de estar com eles, é como se sentisse um bocado que não vale a pena, que não me apetece estar com aquelas pessoas. Axo que estar sempre a ser eu para dizer para sairmos, ser sempre eu a querer, não é o que me apetece e mesmo sabendo que eu me afastei, ninguém me procurou e isso é o tipo  de coisa que eu vejo nas amizades sólidas e no inicio do verão acreditei nisso, agora estou a pereber que se não estiverem comigo estão com outras pessoas que, por sinal, tratam melhor. Já me doeu mais. Não gosto de parecer amargurada e sei que o pareço muitas vezes mas fiquei magoada com essas coisas, tento-me lembrar da minha culpa e tudo mas fico magoada com eles. Talvez ainda venha a acreditar que afinal tenho um grupo de amigos que honram a palavra mas dá-me a impressão que dessas vezes é que estou iludida. Seja como for estou numa de me acalmar, não stressar porque não saí ou não fiz isto e marcar umas coisas divertidas com os meus pais e o meu irmão. Vou tentar não stressar muito e aproveitar as coisas.

See ya

escrito por sonhadoraincuravel às 01:52
link do post | dar palpite | ver comentários (1) | favorito

Quinta-feira, 12 de Agosto de 2010

Hoje vi o resultado dos exames que fiz, fiz contagem de leucocitos, basofilos e afins por causa daquela coisa das alergias, creatinina, sedimentação do sangue, colesterol total, HDL enfim várias coisas. Vi na net agora dá pra ver de casa os resultados. Está tudo bem todos os valores estão dentro do normal, o colesterol HDL (colesterol bom) é que está no limite e apesar do colesterol total estar bom axo que vou comer mais legumes que é sempre bom ter o HDL alto. Fiquei vcontente por ter tudo normal, andava um bocadinho com medo porque as alergias que me deram naqueles dias, o torcicolo há varios meses, os problemas nas articulações e até o teste à tuberculina que fiz no ano passado e que deu uma mancha que indicava que ou estava contagiada com tuberculose e nesse caso não se estava a desenvolver mas podia manifestar mais tarde ou então tinha estado em contacto e tinha ficado imune. Ainda não tinha feito exames a confirmar mas parece que estou imune e enfim essas coisas estavam-me a preocupar um bocadinho. Mas vendo bem eu axo que a maioria das coisas que tenho sentido se relacionam com o stress com a ansiedade. So ultimamente é que tenho descoberto o conceito de ansiedade. Isto pode parecer estranho, mas eu axava que tinha stress e assim mas axava que não tinha ansiedade, não sabia que sentia isso. Mas sinto e muita da ansiedade já vivo com ela há tanto tempo que nem me apercebia. Os medos que sinto e aquilo que falei ontem da poc, são coisas que me têm deixado tão ansiosa e eu nem estava a ter noção. Começou por se manifestar penso eu no bruxismo, cerro os dentes qundo estou e dei cabo do maxilar, mas também se me poser a pensar, houve uma fase que tinha pesadelos, sonhei varias vezes com aviões a cairem-me em cima e eram preocupações, também tive dificuldade em dormir a certa altura, pensava tanto mesmo em coisas estupidas, coisas sem grande importancia mas oensava tanto que não conseguia adormecer cedo. O torcicolo também tem a ver com a contracção muscular causada pelo stress e ansiedade. Bom mas axo que ter noção disso me ajuda a controlar e a relaxar. Hoje senti-me mais confiante, os espelhos cá de casa são mais meiguinhos. Estive a pensar em fazer alguma coisa com os meus pais este fim de semana, pensei num piquenique mas a minha mãe não está com muita vontade, diz que para isso tinhamos melhor em casa e faziamos um churrasco, mas eu queria ir a um sitio bonito, ver pessoas, falei em irmos andar de mota de água mas a minha mãe fica logo preocupada. Estou um bocado sem ideias, se calhar vamos para a praia. No outro dia fomos à feira medieval e gostamos muito, procurei outras coisas, outros eventos bonitos mas não encontrei grande coisa se alguem souber de alguma coisa gira que me sugira. E bom, é isto que conto por hoje.

See ya

escrito por sonhadoraincuravel às 01:38
link do post | dar palpite | ver comentários (1) | favorito

Terça-feira, 10 de Agosto de 2010

Hoje vou fazer dois posts desinteressantes. Neste vou falar da reportagem que disse que vi no outro post anterior. Fiz isto num post diferente porque basicamente eu mostro os meus posts à minha psicologa e não me apetece falar disto com ela, penso nisso mas ainda não falei com ela. Vi uma reportagem sobre a POC, patologia obcessiva compulsiva. Axo que já escrevi sobre isso aqui mas não gosto muito de ir ler posts anteriores então talvez vá desabafar coisas que já desabafei antes (como se os meus posts não fossem habitualmente iguais). Eu tenho um problema com isso. Tenho rituais. Ridiculos e tenho vergonha. Não sei exactamente quando comecei a te-los talvez já tenha visto alguma coisa na infancia mas na adolescencia é que comecei a ter comportamentos mais acentuados. Lembro-me de ter visto aquele jogador do benfica a cair no estadio e isso marcou-me e nessa altura tinha medo de fazer exercicio fisico e assim porque tinha medo de forçar o coração. Talvez tenha sido nessa fase, depois da anorexia (que por si já era um comportamento obcessivo) que comecei a engordar porque ao mesmo tempo que comecei a fazer uma alimentação normal comecei a ter medo de fazer exercicio e digo que algumas aulas de aducação física foram um problema para mim, axo que só controlei alguns ataques de pânico porque não queria que ninguém soubesse que tinha medo de sentir o coração bater mais depressa e ficava muito preocupada. Depois comecei a ter medo de ouvir noticias semelhantes, levantava-me e ia à casa de banho para ninguém perceber mas axo que perceberam que eu preferia tapar os ouvidos do que ouvir aquilo e até saber sintomas de doenças dese genero. Depois comecei a ter medo da morte. chamei a minha mãe algumas noites para dormir comigo e dizia que tinha tido um pesadelo mas era medo que eu tinha, medo de pensar aquilo. Depois comecei a ter medo não por mim mas pelas pessoas que amo. Era complicado e ainda é mas agora já não é aquele panico que tinha à noite, quando estava sozinha. Comecei a dormir com a luz acesa e depois com a televisão. Os comportamentos obcessivo compulsivos exactamente não sei quando começaram axo que no inicio eram coisas simples, tipo superstição mas agora a coisa está um bocado diferente. Entrar no quarto envolve um ritual, ir à casa de banho, ligar as lizes, ligar a televisão, mudar de canal, escrever, ler enfim. Há alturas que estou irritada, tão irritada porque tenho que fazer aquilo e nunca mais parece estar bem e já houve alturas que amarrei no cabelo com a força que tinha com os nervos. Hoje ao ver a reportagem o meu pai riu de algumas coisas que algumas pessoas faziam e realmente aquilo é comico, eu conscientemente posso saber disso ao mesmo tempo que o faço mas como é que uma pessoa pode compreender aquilo. Na reportagem falavam das pessoas serem inteligentes, bem sucedidas e com boas notas e organizadas. Eu não sou nada disso as minhas notas são o que se sabe agora e não sou organizada. Aliás uma das coisas que me denuncia mais tem a ver com uma desorganização que envolve tapetes desarrumados e eu sei como isto soa, acreditem que sei. Já pensei se a minha mãe não desconfia. Tenho vergonha que as pessoas descubram, tenho vergonha do que faço. Faço-o para proteger as pessoas como se fosse uma superstição. Vi na televisão eles a mostrarem como faziam e assustei-me porque eram os gestos que eu fazia, quem via deve ter achado esquisito deve ter achado que eles tavam a representar para a camara os gestos que faziam mais ou menos mas era mesmo assim eu fazia aquilo e ver foi esquisito deixou-me envergonhada e com um sentimento esquisito. Quando descobri que isto era um problema e que afectava algumas pessoas foi numa série policial em que de repente vejo a descrição de coisas que eu sentia. Não me informei muito sobre o assunto mas acabei por ficar mais atenta se calhar quando o tema se falava na televisão. Quando as pessoas estão a ver eu sou discreta e até não faço muitas coisas e por isso é que estar no meu apartamento na faculdade faz com que eu tenha problemas em ficar lá. Já falei muitas vezes que estar lá sozinha me punha triste e tal, mas também há o facto de poder fazer essas coisas porque não está ninguém a ver e como não estou com as pessoas que amo fico nervosa e faço de tudo para protege-las com essas coisas. Cheguei a tomar banho menos vezes porque estar sozinha na casa de banho e despir-me e arrumar a roupa e abrir a água e fechar a água e tudo isso me fazia entrar num estado que evitava. É humilhante isso e axo que dá para perceber porque não disse a ninguém. Na reportagem falaram de isto ser uma doença mental. Uma doença mental, caramba. Não sei dizer a sensação que isso me dá. Não me sinto com uma doença mental, no sentido que as pessoas dão à coisa. Tenho medo dessas coisas, tenho medo de estar maluquinha. Eu axo que posso resolver isto sozinha (estou sempre a ouvir isto na televisão, e normalmente são pessoas que precisam de ajuda) às vezes estou melhor, mais bem disposta e penso que não vou fazer aquilo e tal e até me sinto bem, mas para além do habito eu tenho variações de humor e quando estou mais stressada tenho medo e volto a fazer as coisas ou outras enfim. Já me cheguei a magoar, não a cortar os pulsos ou nada disso como se possa pensar, mas a magoar-me. Cansa. Eu sei que é um problema, sei que tem que ser resolvido mas parece que como só me afecta a mim e muitas vezes até parece que nem me está a projudicar ou mesmo a custar, não vale a pena aparentemente estar a dizer a alguém. E falava no outro post que estive a pensar que se ás vezes não tenho medo de contar estas coisas e de ser ajudada e deixar de ter no fundinho aquela coisa que me diz, não consegues, estavas cansada, não estudas-te, não tens mais autoestima ou és envergonhada porque estas stressada com aquilo. E depois que justificação arranjaria, não consegui porque não sou boa, não estudei porque sou preguiçosa. As pessoas provavelmente não conseguem perceber isto, eu também não percebo e compreendo que cause riso, é ridiculo de facto estar como aquele rapaz a alinhar uma hora as rodas de um caixote do lixo. Ainda não me deu para isso mas andar de um lado para o outro no meu apartamento quando estou atrasada para ir para as aulas isso já fiz. Aliás, houve alturas muito stressantes em que, por estar atrasada para ir para as aulas e assim ainda tinha que fazer mais coisas, é como se me estivesse a penalisar, e apesar de ser assim e de não ser muito pontual, cheguei muitas vezes atrasada por causa disso e em testes nem vale a pena falar, com o stress de chegar a horas a coisa fica um bocadinho dificil. Quando escrevo no blog por exemplo, não chego aqui e escrevo e pronto, não me apetece dizer o que faço, axo que tenho vergonha, mas quando às vezes o texto esta todo mal escrito, com pontuação esquisita e erros ortograficos não é porque eu não sei escrever porque eu até dou muito valor à lingua portuguesa e a escrever bem. Talvez tenha que dizer isto à minha psicologa. E se ela me diz que tenho que ir a um psiquiatra e se ela me diz que tenho que fazer um tratamento e se me diz que tenho que fazer como aquelas pessoas e fazer um genero de reabilitação. Eu não quero nada disso, e so o facto de ter que ir lá e ela me começar a perguntar o que faço, eu ia ter muita vergonha, mesmo sendo ela uma profissional, é uma pessoa e eu própria fico ademirada com o que outras pessoas contam que fazem. Tive anorexia e fiquei melhor sem ajuda de um médico, talvez consiga ficar bem agora. É por isso que eu me eduquei a não julgar as pessoas, tento mesmo não faze-lo porque eu sei que as vezes as coisas parecem faceis e parecem ridiculas mas cada um sabe as suas razões e sabe o que lhe custa algumas coisas, não se deve julgar as pessoas e deve-se tentar ver o lado de toda a gente. Eu estou a contar isto num blog, ninguém sabe quem eu sou, imaginem se eu contasse isto a amigos ou à minha familia, claro que a minha familia me ia apoiar e eu confio muito neles mas como é que eles iam entender que eu tenho que desligar a luz de uma certa maneira e essas coisas que eu faço. E falando agora de um aspecto que me lembrei é que isto afecta-me também neste aspecto, aqui em casa eu sou desleixada e preguiçosa. Eles dizem isto porque as vezes me pedem para fazer qualquer coisa e eu não quero fazer porque tenho que fazer tanta coisa para concretizar o que eles me pediram que fico nervosa. Podem pedir-me por exemplo para por a mesa e eu penso que vou ter que abrir o armário e pegar na toalha e desdobra-la, po-la na mesa esticadinha e centrada, pegar nos pratos se calhar com a mesma mão, por os pratos na mesa e se calhar por o que está por baixo para mim e ir buscar os talheres e se tiver que ir buscar um à gaveta porque não havia mais na maquina esse fica para mim, enfim, acho que nem eu as vezes sei bem as coisas que faço e são tantas. Então, eu penso nessas coisas que vou fazer e para não ter esse trabalho todo que me causa stress e até para não fazer nenhum erro, prefiro não fazer e acreditem que já me senti muito irritada por me chamarem preguiçosa e desleixada, eu a stressar com aquilo e a sofrer com aquilo e chamavam-me preguiçosa e desleixada e eu nem podia dizer nada porque eles tinham mesmo que axar e pensar isso. Agora já vou educando algumas coisas, axo que houve um dia que pensei, eu não sou assim eu sei porque estou a fazer isso por isso calma porque eu não sou assim tão mazinha e incompetente e axo que aí fiquei mais calma em relação a certas coisas. É impressionante as coisas que a nossa cabecinha faz, somos tão complexos, eu tenho isto e estou a tomar consciencia disso e ponho-me pensar que há outras pessoas com o mesmo problema que eu e com outros como a cleptomania estou agora a lembrar-me. Provavelmente também é uma POC, afinal eu percebo-os e nunca pensei nisso. Isso deixa-me confusa, acho que é porque afinal eu também era capaz disso, deu-me para outro lado podia-me ter dado para isso, toda a gente é capaz de sentir o mesmo e por mais que quem não tem esse problema diga que toda a gente é capaz devem ser poucos os que realmente têm noção que eram realmente capazes, como eu agora de repente percebi a semelhança do meu problema com os cleptomaniacos. Isto assusta-me mas fascina-me. Amanhã se calhar vou pensar porque é que escrevi isto e que não devia ter postado estas coisas mas se calhar esta reflexão fez-me bem e vou publica-la apesar de axar que não me vai apetecer tocar muito mais no assunto. Provavelmente não vai haver quem leia este post e compreenda, mas se alguns lerem mesmo assim o texto até ao fim (e desde já parabens lool) espero que tenham noção de como somos hipócritas e julgamos toda a gente mesmo sem notar e depois vamos a ver e somos como eles.

See ya

escrito por sonhadoraincuravel às 00:46
link do post | dar palpite | ver comentários (7) | favorito

Segunda-feira, 9 de Agosto de 2010

Estou triste. Uau que novidade! Não tenho ido à psicologa porque adoeci e tenho tentado fazer coisas com os meus pais ao fim de semana então ainda não marquei mas axo que estou a precisar. Ando instavel, tanto estou bem como mal. Teno que ir comprar  o ansiolitico que o médico me receitou talvez me acalme um bocado. Hoje fui comprar uns sapatos porque recebi um dinheirinho nos meus anos e resolvi comprar umas sandálias melhorzinhas que gostasse mesmo mas não encontrei, as que gostei eram grandes e comecei a ficar irritada por de cada vez que encontrava umas só haver o quarenta e assim. Precisava também de um vestido que não fosse muito formal e que fosse "decente" para levar para a universidade por exemplo porque os meus são curtos de mais para levar para lá. E quando vou às compras pronto, lá volta esta tristeza. Os espelhos das lojas põem-me deprimida a roupa parece que não assenta bem, não ha nada que goste, começo a não gostar da roupa que levo, começo a ver coisas que não tavam lá quando me vi no espelho de casa, começo a axar que toda a gente tá bem quer sejam mais gordas ou mais magras e eu estou ali, sinto-me diferente não sei explicar, sinto que não sou igual às outras pessoas, que sou esquisita sei lá. Eu sinto os olhares das pessoas, no bom sentido até, axo que de alguma forma "dou nas vistas" por algum motivo (isto escrito soa a uma coisa maior do que é, simplesmente sinto que há qualquer coisa em mim que chama a atenção, talvez o cabelo comprido sei lá, não sei) mas ao mesmo tempo sinto-me diferente, sinto que o meu corpo não é proporcional, que a minha cara está marcada pelo acne que tive e de vez enquando inda me ataca enfim eu consigo imaginar todos os meus defeitos à mostra. Eu desde a adolescência que tenho um certo complexo com o meu corpo e que não estou satisfeita com alguma coisa que tenha a mais ou a menos (geralmente a mais). Mesmo em criança, brincavam comigo por causa das minhas sardas e eu não gostava nada e mesmo quando me elogiavam os olhos que na altura eram acinzentados eu não percebia, punha-me a olhar ao espelho e não percebia porque as pessoas reparavam nos meus olhos, não tinha noção. Lembro-me muito mais facilmente de não ter noção do meu corpo e de não me sentir bem com ele do que de alguma altura em que tenha tido noção do meu corpo e gostase do meu corpo. Já falei aqui que tive problemas com a comida. Ainda hoje tento fazer dietas, agora menos radicais, mas ando sempre a fazer cuidado, aliás, salto do alturas em que ando a fazer cuidado para alturas em que não faço cuidado nenhum. Mas apesar de saber o que é um disturbio alimentar, apesar de saber os problemas que traz, enfim, mesmo estando consciente do que isso é, tenho que ser sincera, só não faço aquilo que fazia quando tive esse problema, porque não consigo. Hoje estive a ver uma reportagem e estive a pensar sobre uma coisa. Eu sei que tenho problemas psicológicos, tenho medos e tenho ansiedades e tudo isso mais do que uma pessoa normal tem. Mas estive a pensar até que ponto eu não tenho medo de deixar de ter isso e deixar de ter como justificar os meus falhanços. Claro que eu tenho andado a percorrer um caminho aos poucos para resolver a minha cabeça quanto a isso e eu sei de tudo o que pode condicionar os meus falhanços, conscientemente sei dos erros que cometo e até de defeitos que tenho mas axo que no fundo tenho um certo medo de não ser esses problemas psicologicos a justificar isso e de descobrir falhas na minha personalidade, de ter a prova de defeitos que tenho mas que vou tentando não pensar muito. É um outro lado das coisas mas axo que nunca tinha pensado verdadeiramente nele ainda. Não sei o que muda com a minha consciencia disto. Bom, de resto tenho tido o telemovel desligado esta semana, não sei bem porque mas não me apetecia que me ligassem ou mandassem mensagem, uma amiga minha tá de ferias e deve vir a nossa cidade e tinhamos dito que iamos sair e até tenho vontade mas tenho um certo nervosismo quanto a isso, medo de ter que passar por situações em que fique nervosa e assim. Amanhã vou liga-lo. Aqui em casa também andam meios chateados acho eu, nota-se que as pessoas estão mais irritaveis, não sei se é por andarmos meio adoentados se é por causa do calor, mas axo que estamos um bocado birrentos. Vou ver se faço alguma coisa de positivo amanhã, não sei o quê. Agora lembrei-me de outra coisa que tenho pensado, tenho tido vontade de quando começarem as aulas de ficar mais vezes por lá, no meu apartamento, de fazer o meu jantar, ler um livro, ser um bocadinho independente, como uma menina crescida lool enfim, acho que quando começarem as aulas vou comprar uns livrinhos, sem justificar porque comprei aquele livro, isto porque ando com vontade de ler romances e se a minha mãe me vê a ler romances põe-se a pensar coisas, por ter acabado com o T. há relativamente pouco tempo e assim e não estou com vontade de dar oportunidade a essas conclusões. Não é nada de especial mas pronto não me apetece isso.  Então estou com uma certa vontade de passar assim uns dias de vez em quando a fingir que sou uma adulta responsável. E basicamente é isto, estou triste, ando pensativa, não me sinto muito bem comigo e estou de dieta.

See ya

escrito por sonhadoraincuravel às 23:53
link do post | dar palpite | ver comentários (1) | favorito

Segunda-feira, 19 de Julho de 2010

Tenho escrito pouco ultimamente mas para além do meu ultimo texto dar para os dias que não escrevi lool tenho estado ocupadaou chateada, estive doente com sintomas de velhice, vou fazer vinte e dois anos esta semana e os sintomas fazem-se sentir lool. Amanhã devia ir à universidade mas marquei dentista e já desmarquei tantas vezes que axo que vou ao dentista e depois vejo essas coisas da escola. Tenho andado chateada axo que é por não ter nada que fazer nos ultimos dias quando estive doente e mesmo o facto de estar adoentada mas não é o mesmo aborrecimento que sinto às vezes que pesa de tão aborrecido lool é só mesmo o facto de não me arranjar para sair e essas coisas que fazem falta mesmo que pareçam chatas quando andamos a faze-las. Hoje tive cá familia em casa e foi bom ter os meus meninos a chatearem-me a cabeça a tarde toda, são chatinhos falam para mim desde o momento em que chegam cá até irem embora mas são uns fofinhos. As vezes tenho duvidas se realmente tenho jeito para crianças como me dizem às vezes e como axo as vezes mas nestas alturas vejo que tenho um certo jeito para elas e enfim, afinal sempre tenho jeito para alguma coisa lool. Hoje recebi uma prenda antecipada, um bikini muito giro e uma pulseira feita pela minha afilhada. O meu irmão também recebeu uma prenda de uma amiga que ele ajudou a estudar para o exame final do curso deles. É estupido mas gostei de ver a ajuda dele recompensada. Eu  vi-o a estudar, ajudei-o a fazer uns trabalhos, encomendei-lhe alguns livros, tirei-lhe fotocopias encadernei-lhe livros enfim essas coisas e vi que ele se esfolou a estudar e sei que essa rapariga estava com alguns problemas e não pode estudar tanto e axo bonito que o meu irmão tenha saido de casa para ir ajuda-la a estudar e mesmo tendo estudado também possivelmente não estudou tanto quanto estudaria sozinho mas axo isso bonito. Axo que é uma coisa que está na nossa educação, cá em casa vejo muito isso não sei se sou sempre assim mas tento sê-lo. Enfim mas depois vi o presente que ela lhe deu e senti assim  aquele orgulhosinho. Tenho pensado no que falei na consulta de psicologia, quando disse as coisas que achava que não era mas gostava de ser e depois tentaria ver em certas atitudes minhas essas caracteristicas. Não sei porquê mas tenho tido dificuldade nisso, não exactamente a encontrar as minhas características nas minhas atitudes mas sim a pensar nisso, a reflectir sobre as minhas atitudes. Provavelmente isso não tem grande significvado e é simplesmente preguiça mas axo que estou numa fase nestes dias em que não tenho grande vontade de pensar nos meus dias, fazer essa reflexão, daí não escrever muito ultimamente (se bem que quando escrevo escrevo muito lool). Bom mas se calhar é uma boa altura para escrever aqui as características que rereri na altura que gostaria (não tenho o papel em que as escrevi à mão mas não andarão longe disto): forte, extraovertida, sincera (frontal), inteligente ( e talvez haviam mais mas não me estou a lembrar agora). Ou seja, gostava de ser mais forte no sentido de enfrentar as situações sem fazer um problema de coisas que não têm que se-lo e ser forte para não me ir tão abaixo quando as coisas não em correm assim tão bem. E ter uma personalidade forte ( a minha madrinha de vez enquando diz que eu tenho personalidade forte mas sinceramente não sei como ela viu isso em mim, porque axa isso, honestamente não sei mesmo, agrada-me ouvir mas não vejo mesmo quando ela viu isso) e com personalidade forte quero dizer aquele tipo de pessoa que não se deixa calcar os calor, que se impõe de vez enquando, eu já tive situações na universidade em que me calcaram os calos e me senti humilhada por estarem a faze-lo e eu não reagir, só uma vez em que cheguei ao limite e tive uma atitude mais forte de lançar um olhar a uma colega e depois de a prof me ter dado razão, lhe ter dito "era isso que estava a dizer" (isto foi a minha atitude mais forte imagine-se), mas não gosto muito de lembrar isso. Quanto ao extraovertida axo que é facil perceber, eu não gosto muito daquelas pessoas expansivas mas se calhar gostava de deixar uma primeira impressão mais divertida e menos acanhada provavelmente. Sincera ou frontal é uma coisa que me custa um bocadinho ser porque eu quando me dizem alguma coisa eu procuro o que pode estar por trás daquilo, como por exemplo quando uma amiga me disse no outro dia que estava muito bonita eu automaticamente estava a pensar se ela disse aquilo superficialmente, sem pensar muito, se disse aquilo porque eu costumo estar mais feia, enfim lool, então, quando chega a hora de dizer se eu axo que aquelas calças ficam bem a alguém eu tenho uma certa dificuldade de dizer quando não gosto e mesmo a forma de dizer que gosto é estudada antes de dizer porque não vá a pessoa ficar envergonhada ou triste. Por exemplo à minha mãe tenho àvontade para lhe dizer que não gosto muito do modelo das calças que ja vi coisas mais giras mas não faço a mesma coisa com muito mais pessoas. E o inteligente vem daquele meu complexozinho que por algum motivo me faz sentir mais pequenina quando vou pra universidade, axo que é basicamente lá que sinto isso. Axo que devia haver uma unidade de medida qualquer que medisse o nosso conhecimento e a nossa capacidade e assim eu já sabia com o que podia contar, se não fosse muito pelo menos sabia lool. Na verdade eu sei que já em pequenita eu pensava que quando fosse grande queria saber muitas coisas como o meu pai sabia e ao longo do tempo fui ganhando também essa coisa em relação ao meu irmão. Não sei se é aquela coisa de idolatrar o meu pai e o meu irmão mas axo sinceramente que não é, admiro muito as coisas que o meu pai sabe ou porque era uma criança das que ainda aprendia as coisas na rua e inda por cima numa aldeia aprendeu montes de coisas giras que nos ia ensinando, ou porque sabe coisas sobre países que nunca visitou mas de alguma maneira sabe, porque se interessa muito por animais, porque tem a necessidade ou o gosto, provavelmente as duas coisas de aprender. O meu irmão também não tinha grandes notas mas eu posso dizer que com notas melhores não fiquei a saber metade, porque ele ficava muito ervoso nos testes e havia sempre o estigma de estar numa turma que não era grande coisa e de ele não ser um aluno muito bom, mas a verdade é que as coisas que ele aprendeu na escola ficaram mesmo e mesmo na universidade ele tem uma capacidade de estudar que eu não tenho e fica mesmo a saber o que estuda, pode até não se lembrar no teste, mas se lhe perguntar depois ele sabe. E meso a capacidade de questionarem o que lêm e ouvem, não engolirem tudo o que lhes dizem, foi uma coisa que fui aprendendo e ainda aprendo com eles. Depois disto eu fico a achar que eles são uma esponja que absorvem a informação e eu sou talvez um coador que deixa passar quase tudo lool às vezes fico com a sensação que sou um coador com os poros mais abertos outras veze tenho a sensação que os poros são um bocado mais fechados lool. Bom e como estava a falar fiquei de tentar encontrar essas atitudes em mim em certas atitudes. Fazendo assim uma leve retrospecção axo que talvez tenha sido um bocadinho mais frontal que o costume numa situação. No outro dia vieram uns amigos dos meus pais cá a casa e o marido gosta um bocadinho de se armar em mais esperto que a mulher, gosta de mostrar que é melhor que ela (não é nada muito grave mas fa-lo) e estavam a ter uma conversa que não dá para explicar mas era sobre coisas em ouro, joias e ele estava a dizer que era ridiculo estar a comprar um anel de ouro porque quando se vai a vender não vale nada. Estava a dizer isto para contrariar a mulher e num tom e contexto que era mesmo para ridicularizar o que ela estava a dizer. Os meus pais estavam meios calados e sorriram mas não quiseram alimentar muito a conversa e eu contrariei o que ele disse e disse-lhe qualquer coisa como que também quando se comprava uma joia era por outro motivo qualquer não era a pensar no valor que ia ter quando se vendesse. Bom isto escrito não tem sentido nenhum, mas vá acreditem em mim lool normalmente não me meto muito nisso e depois até comento com os meus pais e liberto a minha raiva por a pessoa ter feito o que fez lool inda por cima não tenho assim grande confiança com as pessoas mas pronto fui um bocadinho mais frontal e mostrei de alguma forma que não estavamos exactamente a corcordar muito com ele (a sério que a história escrita não faz jus ao que aconteceu na realidade lool). Quanto às outras características não as reconheço assim em nenhuma atitude que tenha tido. Mas talvez as encontre afinal não somos só isto ou aquilo não é verdade? Aliás costumo dizer e pensar muitas vezes que não somos só bons ou maus, geralmente penso nisso em relação às outras pessoas quando fico desiludida com alguma atitude de alguém ou assim mas acredito que relamente as pessoas possam ter todo o tipo de atitudes, depois têm que alimentar as que acham certas, digo eu. Mas espero ainda comprova-lo comigo neste exercicio de procurar essas caracteristicas em mim, era muito bom. E já escrevi tanto, peço desculpa a quem tiver que ler isto tudo (passem partes à frente distraidamente,  ficarão a saber o mesmo provavelmente lool). E hoje axo que já escrevi tudo.

See ya

escrito por sonhadoraincuravel às 00:55
link do post | dar palpite | ver comentários (3) | favorito

Sábado, 19 de Junho de 2010

fiz exame e correu bem por acaso, depois fui tomar café com a J e falar um bocado. Estivemos lá e falamos de bastantes coisas. Depois um amigo de liceu telefonou-me e perguntou-me se queria ir com ele a um espectaculo organizado por uma professora e aceitei. Fomos, não foi bem o que estávamos à espera mas falamos e rimo-nos um bocado. A questão é que fiquei com uma sensação esquisita, não fiquei alegre ou bem disposta, estou sei lá como. Não tenho definição para o que estou a sentir mas é estúpido não estar animada por ter ido dar uma volta e ter falado com amigos. Se não saio estou aborrecida e triste porque não tenho com quem sair, quando saio fico com uma sensação estranha. As vezes parece que não me compreendo parece que estou a olhar para outra pessoa e a tentar perceber qual é a dela. Falei com a J e quando vinha embora, no carro vinha a pensar que, com ela, tinha estado bem e não estive a pensar em grande coisaa mas depois tava com aquela sensação estranha. Axo que me penalizo ou pelo que fiz ou pelo que possa ter feito e nem sei bem. Eu sei que não faz sentido, mas tou a tentar por por palavras as coisas que sinto e axo que pode ser isso, axo que interiormente estou com aquela coisa de ter dito alguma coisa que tenha deixado impressão de eu ser de uma maneira que eu não quero que pareça que sou (que frase complicada, mas nem me apetece explicar). Mas antes axo que conseguia ter mais noção dessas coisas, axo que eram pensamentos mais conscientes, agora é qualquer coisinha que ta la a remoer. Ou se calhar nem é isso sei lá, sinceramente é dificil explicar o sentimento mas é desconfortável. Parece que nunca estou satisfeita comigo ou sou feia, ou sou gorda, ou não pareço inteligente ou me vesti mal, ou me vesti bem de mais. A sério não sei o que se passa na minha cabeça mas parece que quando estou mais em baixo estou triste e quando estou aparentemente bem é desconfortavel estar assim, ou parece que estou a fazer um esforço constantemente mas sem ter consciencia disso, é como se estivesse distraídamente a carregar uma mochila às costas que está pesada e cheia de livros mas estou sem noção que ainda a tenho às costas e ainda não a pousei. Não sei se é habito de estar mais tristonha não sei se acredito que as coisas funcionem assim, axo que não deve ser assim tão simples mas também isso já é divagar muito. O que interessa é que devia estar animada e estou com uma sensação estranha e a vontade que tenho era de conseguir estar com pessoas e, ou não fazer comparações que me fazem mal ou ser mais segura de mim, valorizar-me a mim própria. Eu tenho orgulho nos meus valores, na minha educação, gosto da pessoa que sou intimamente, da parte de mim que as pessoas muito intimas conhecem. Mas quando estou com pessoas, nas coisas mais superficiais eu fico sem saber onde me agarra. Mesmo sabendo que a solução é simplesmente estar com as pessoas e viver as situações, depois fico com esta sensação desconfortavel e acabo por não ter vontade de estar com elas. Não é estranho ha uns dias querer estar com pessoas, e hoje, depois de ter estado já não ter assim muita vontade? lool sou mesmo desorganizada, até na cabeça lool.

See ya

escrito por sonhadoraincuravel às 01:17
link do post | dar palpite | ver comentários (6) | favorito

Sábado, 12 de Junho de 2010

A musica do outro post esta na minha cabeça há uns dias até ja aprendi os acordes no piano. Fiz um exame ontem, a J. falou-me que era facil e apesar de não ter ido às aulas estudei um bocado e correu bem até. Houve um professor que me chumbou porque não fiz uma pergunta que valia 10%, o teste dele, o primeiro foi ridiculo e sei que ele teve que usar criterios muito estranhos para os corrigir porque ninguém conseguiu fazer aquilo e o segundo correu-me bem mas pronto ele chumbou-me a uma disciplina ridicula, queria ver o que ele fazia se eu quisesse ver o porimeiro teste porque os criterios que usou devem ter sido interessantes. Mas enfim, tive 16 a outra e vai compensando. Tenho dois exames agora, um tenho mesmoq ue tentar fazer, estou com pouca vontade de estudar mas estou mais motivada do que no inicio das ferias. Isto não são exactamente férias mas enfim não tenho que ir à universidade todos os dias lool se bem que eu até gostava quer de conduzir até lá quer de estar lá, sempre se fazia alguma coisa. Mas pronto agora fui à psicologa, desta vez não me esqueci mas quase que não punha o telemóvel a despertar. Estive a falar com um amigo ontem, na net que tava a fazer um trabalho mas tava-lhe a custar e hoje ele veio todo contente dizer-me que tinha corrido bem. Podem achar que é estúpido mas fiquei mesmo contente de ele me vir dizer isso, não só por lhe ter corrido bem mas por partilhar isso comigo. A amizafde é uma relação como outra qualquer, nem sempre está a cem por cento, mas está lá. E hoje sinto que se algo de muito importante acontecer com ele eu acho que ele me escolhe para estar com ele.. Isso é muito bom, faz-me sentir parte de uma coisa. Tenho mesmo que cultivar maios estas coisas, arriscar. A minha meta agora é arriscar com a J., sair com ela, e parar de tentar antecipar o que pode ser, se correr qualquer coisa menos bem, lido com isso depois, mas normalmente as coisas valem a pena e quando arrisco nestas coisas depois colho frutos e é bom por isso vou ver se ponho a cabeça no sitio que estamos cá é para viver. Como sempre estou mais bem dispoista no dia da consulta mas já estava quando acordei por acaso, se calhar foram os meus primitos ontem que me deram tantos beijinhos e senti tão bem que eles gostavam de mim que enfim, essas coisas não se pagam. Mas tenho uma ligeira nuvem na minha cabeça hoje porque apercebo-me que ha muita coisa que digo sabendo que não vou fazer e isso não tem jeito nenhum. Preciso ser mais firme comigo. Por mim. E pronto, vou dar uma voltinha com a minha mãe. Voltando à musica, já se viciaram numa musica? mas a ponto de a ouvirem mais de cem vezes em dois dias? É que eu adormeci com ela, cantei-a no caminho da consulta, estou a ouvi-la desde que liguei o pc, estou a ficar preocupada, nunca ouvi uma musica tantas vezes seguidas. jà a conhecia mas enfim, agora fiquei fixada com ela. Bom fim de semana a todos meus caros e vastos leitores lool.

See ya

escrito por sonhadoraincuravel às 16:17
link do post | dar palpite | ver comentários (1) | favorito

Domingo, 6 de Junho de 2010

tou tristinha, hoje fui ficando assim tristinha, fui às compras e é estúpido como me sinto no shopping e em casa porque estou em casa e até me sinto minimamente bem e chego lá e parece que nada me fica bem, olho-me nas montras e acho-me horrorosa axo toda a gente bonita e eu não axo que sou diferente. Chego a casa outra vez e já me axo bem outra vez. Depois também jantei e fiquei assim a fazer zapping sem nada interessante pra ver na televisão, não tinha com quem sair, adormeci e a minha mãe viu que estava meio triste, veio falar comigo e perguntou se não saía e assim. Não lhe quis dizer que tinha combinado não sair com o T. então disse-lhe só que não tinha com quem sair. Ela brincou um bocado e disse que podia sair com este e aquele, que começaram por ser primos com quem não falo há muito tempo e não tem sentido agora sair com eles, simplesmente não tem sentido ou então chegamos a conclusão que as minhas crianças, primos afilhada etc eram a minha solução. Brincamos assim um bocado mas fiquei triste por pensar que tenho que fazer de babysitter se quiser sair com alguém. Eu adoro crianças e adoro tar com os meus primos mas fico triste porque fico a pensar que gostava de conhecer pessoas, gostava de me dar bem com pessoas, gostava de conhecer alguém especial com tempo mas não dou grande oportunidade e não sei como posso dar oportunidade assim. Não quero forçar as coisas, não vou fazer amigos à forlça nem ando desisperada à procura de companhia mas sinto falta e nessas alturas ponho-me a pensar. Neste momento  ou não posso sair com as pessoas porque são amigos do T. e saem com ele ou porque já foram meus amigos mas não se mostram interessados nem disponiveis e além disso ja perdi um bocado o encanto com eles. Não me quero tar a fazer de coitadinha, sei que parece muito isso às vezes, mas é o que eu sinto, por isso tenh0o este blog, para dizer as coisas mesmo que pareça mal. Não tenho estudado para os exames nem tenho vontade, tenho feito um esforço para pensar em coisas que me apeteçam fazer porque preciso mesmo descansar a cabeça. Acabei por me esquecer da consulta com a Psicologa, lembrei-me quando fui às comprar com a minha mãe. Se calhar hoje tinha-me feito falta, se calhar estava mais bem disposta vou tentar marcar para a semana. Queria-me dar bnem com as pessoas e queria-me dar bem comigo.

See ya

 

escrito por sonhadoraincuravel às 01:23
link do post | dar palpite | ver comentários (1) | favorito

Segunda-feira, 17 de Maio de 2010

Tenho tido os dias mesmo preenchidos o que é bom, tenho tido muita coisa pra frazer, tenho-me divertido. Hoje fiz um teste e correu-me bem, a disciplina não é muito imnportante mas o facto é que me correu bem. Amanhã estudo pra outro e a pressão é outra porque preciso fazer a disciplina e preciso de um treze praí porque o primeiro teste não correu muito bem. Talvez consiga estudar melhor ja que estou mais bem disposta e não tenho problemas a ocupar-me a cabeça. No outro dia na psicologa fiz exercicios de relaxamento muscular. É impressionante que já tinha pensado nisso mas não tinha tomado consciencia que faço muita tensão muscula, se pensar nas aulas sou capaz de estar um tempão de perna cruzada ja a doer-me só para não faze o estrilho de me mexer na cadeira em certas situações. Lembrei-me que quando ia toda stressada por estar atrasada nos dias que supostamente era para relaxar as vezes pensava nisso e sentia os ombros baixarem porque tava a fazer força naquele sitio. Axo que mesmo assim tenho que ir ao médico que o torcicolo continua a melhorar e piorar de vez em quando mas tenho que começar a reparar na força que tou a fazer nos musculos. Por isso é que as vezes tenho aquela sensação que tou a parecer tensa porque o meu corpo não flui, não sei explicar. mesmo a expressão facial às vezes ponho-me a pensar e nas situações que tou mais tensa sinto que tou a fazer expressões forçadas ou que tou com pouca expressão porque tou a fazer tensão mesmo neses musculos da cara e estou a reparar nisso mais conscientemente agora. Eu a pensar que me analizava ao pormenor a mim mesma e afinal escapam-me tantas coisas. Vou tentar fazer isto quando estiver assim mais envergonhada, tentar tomar consciencia dos meus musculos e ver onde estou a exercer pressão desnecessariamente e tentar relaxar o meu corpo para não parecer tão tensa até porque o facto de me aperceber que estou fisicamente tensa inda me põe mais tensa mentalmente lool. Realmente sou muito complexa mas acredito que muita gente o é e nem toma consciencia disso e até haverá quem não tome essa consciencia mas lide bem com as situações de tensão à sua maneira, eu tou a descobrir a minha. Hoje até já experimentei um bocadinho isso porque fui  fazer o teste no anfiteatro e a prof resoleu por-me na mesa dela, em frente a todo um semi-circulo cheio de alunos. Pois que olhei pouco para a frente disfarcei à minha maneira, senti a cara ligeiramente quente mas não me pus a pensar muito naquilo e relaxei tanto quanto pude o corpo enfrentei a plateia lool mas encarei a situação o mais naturalmente possivel. Também falei de outra coisa interessante na consulta que depois falarei aqui porque axo que é interessante fazer um post sobre isso. Aproveitem o sol que tá tão bom mas sem abusarem, toca a por protector solar para evitar o cancro de pele (em certos países tropicais o uso do protector é tão usual que apesar do clima maravilhoso a incidencia do  cancro de pele é menor que aqui).

See ya

escrito por sonhadoraincuravel às 22:23
link do post | dar palpite | ver comentários (3) | favorito

ora-deixa-ver-quem-é-esta-croma
Janeiro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


últ. comentários
mais do que isso tou com preguiça de ler o que esc...
olá, como vais? este blog é bom se tiver pernas pa...
olá menina, como é que tu estás? saudades tuas.. v...
olá menina. então, como é que tu vais ? eu vou bem...
olá. já tinha muitas saudades tuas. como estás ? p...
olá! eu também ia cheia de esperanças, quando come...
ola responi tardeas respndi. Sim eu tenho POC e e...
Olá...andava a fazer uma pesquisa sobre poc e enco...
olá! saudades tuas. ainda bem que estás bem. vê se...
tive uma grande necessidade de apagar todos os blo...
favoritos

2009.

pesquisar
 
Fazer olhinhos

blogs SAPO


Universidade de Aveiro