saga de uma tímida/insegura/atrapalhada/parva cujo dom é sonhar

Terça-feira, 22 de Fevereiro de 2011

Bom, tenho tido aulas e feito ginásio como op costume. Tenho faltado um bocado às aulas, apesar de estar mais motivada rtenho sentido falta de vontade de aparecer o que parece não fazer sentido mas pronto. Hoje estou especialmente tristonha, não sei porquê. Tou carente, deve ser tpm lool. Ontem encontrei o meu ex-namorado no ginásio, não me ia cumprimentar  ia fingir que não m,e viu mas chamei-o e cumprimentei-o. Depois fiz um exercicio à beira dele e nem olhou pra mim lool tá um ambiente esdtranho mas é de se esperar. Eu tenho falado0 disso com os meus amigops mas tenho medo d estar a parecer que quero dar muito a imagem de que ele ta mal mas eu estou bem. Mas desde que aconteceu aquilo com aquelas pessoas que parece que preferem inventar-me uma historia em que eu esteja a sofrer e ele não, então parece que a boca me sai sempre para fazer questão de oparecer bem. A verdade é que estou, tenho-me sentido m,uito bem. Tenho uma sensação estranha com isto de estar no m,esmo ginásio que ele mas enfim, axo que é o niormal afinal namoramos quatro anos. Mas enfim, quero concentrar-me que estou bem e enfimç. Tenho pensado numa pessoa, que não faz sentido e que não devia. Não me apetece falar de quem é, não é ninguém que tenha falado já aqui. Mas é completamente infantil como de resto tenho tendencia< a ser nestas coisas. Dou valor de mais a coisas absolutamente platonicas e impossivel. Sou uma romantica lool e estou muito "carentxi". Mas tem sabido tão bem ver pessoas que gostam, de mim, sentir carinho das pessoas enfim, sentir por exemplo que no ginásio não sou aquela pessoa que vai pra universidade e ja todos axam que é aquela que não da grande cofiança a grande gente, enfim. Ali metem-se comigo falamos todos, é muito fixe. Sinceramentge neste momento ia perfeitamente todos os dias ao ginásio.. Mesmo que doessem os musculos no dia seguinte lool.Hoje ao oplhar para o meu reflexo no carro pensei numa coisa. Olhei e pensei que devia andar assim mais vezes, mais leve. Depois pensei que na realidade ando com a mesma roupa, o mesmo cabelo, enfim, não ha nada de significativamente diferente. Então pensei que o problema é dentro, é no que sinto. Chego lá e sou m,ais pesada, parece que ando com quanquer coisa em cima das costas. É a ansiedade, o nerviosismo enfim. Eu lido relativamente melhor com isso agora, mas a verdade é que a primeira< aula que fui este semestre, volteio a vir embora porque a sala estava cheia e eu ia entrar sozinha e não consegui. Desta vez o coração não bateu tão forte e eu não me senti tão mal. Mas não foi indiferente. Enfim, mas vou ver se começo a ir às aulas direitinho até porque não tenho assim tantas por iosso há que aproveitar. Quanto aos resultados do ginásio ja se fazem aparecer, ja ando com os musculos mais riginhos lool e a barriga também está mais firme, por isso a quem quiser e poder aconselho viva<ment.e. Só ando lá há três semanas e a alimentação não é descuidada mas não ando a fazer sacrificios nem nada assim. E vendo bem as coisas axo que era disso que precisava, uma coisa que me fizesse feliz, que me desse um retorno positivo e priincipalmente, dada a necessidade que tinha disso, um retorno positivo imediato que foi o que tive desde a primeira vez que fui lá uma vez que estava com amigos e que se sai de lá com uma cabeça muito mais limpa. Enfim, no fundo estopu bem apesar de hoje estar assim mais tristomnha. Enfim parvoices. Estou a precisar de elevar a minha auto-estima, se tivesse dinheiro ia às compras lool mas como isso é uma coisa sensivel pra mim porque venho de lá mais triste, e como ja gastei muito dinheiro por caus do ginasio e assim, vou à cabeleireira antes do fim de semana :Pb que esta juba já não está com nada. Minha gente, ob rigada a quem me atura lool. Espero que por ai esteja tudo bem.

See ya

escrito por sonhadoraincuravel às 17:22
link do post | dar palpite | ver comentários (2) | favorito

Sábado, 6 de Novembro de 2010

Fui-me abaixo, fiquei mesmo triste. Já nem sei o que disse aqui antes mas nem me apetece ler. No outro dia estava no Porto, vim das aulas e estive muitomal (ok ja me lembro que ja falei desse dia) mas depois no dia seguinte não fui às aulas. Fiquei na cama a manhã toda. Mandei mensagem ao T. logo às sete e pouco antes de ele ir trabalhar. A resposta não foi muito intusiastica nem eu esperava que fosse. Mais tarde mandei mensagem, falamos um bocado e disse-lhe o que tinha a dizer, porque não falava comigo, se preferia que eu saisse da vida dele para sempre ou se era aquele tempo que tinhamos falado para depois sermos amigos. No inicio axo que ele quis dizer que era melhor não nos falarmos mais porque ainda gostava de mim. Mas depois la continuou a falar comigo e disse que a partir de agora eramos amigos outra vez e não sei quê. Mas ainda lhe custa falar comigo e assim. Fiquei tão confusa. Já pensei tudo, ja pensei no que estava a fazer ao falar com ele, já pensei se não era mais facil continuar com ele, já pensei se posso sentir alguma coisa quando o vir, ja pensei na falta que o apoio dele me faz enfim. Tou carente e tenho um  medo enorme de ceder a isso. Era mais facil, saía mais, divertia-me mais, tinha alguém, enfim há sempre aquela ilusão de que se fosse assim eu ia ficar bem melhor e sentir-me melhor comigo e tudop ia correr bem. Eu sei que não é assim. Sei que estive quatro anos com ele e muito tempo não gostava dele da mesma maneira que ele e sei que estava à vontade com ele mas mesmo assim me sentia retraida em certas alturas e não estava a vontade com as pessoas mesmo que o tivesse la pra me proteger se me sentisse mal. Há sempre esse ilusão "será que eu agora não estou melhor, mais resolvida e as coisas não iam ser mesmo assim como eu imagino?". Tive medo de ceder a isto tudo. Estive mal mesmo. Vim a chorar pra casa. Sentia-me mal porque a minha mãe ia ver que estava assim e ia ficvar preocupada. Mas tinha que vir não estava a aguentar. Tinha dois testes no dia seguinte e não tinha estudado. Cheguei e falei com a minha mãe e fez-me bem. Axo que nunca tive tão mal. Há três dias que não consigo comer nada quase. Só consigo beber sumos e assim pra me manter de pé. Nunca me senti tão sem apetite é como se por dentro o meu corpo estivesse a trabalhar tanto que não consegue aguentar que meta alguma coisa no estômago. Mas falei com a minha mãe depois uma segunda vez e ela trouxe-me um  bocadinho à terra. Falou-me se não estava a falar com o T. e se ele sabia que era só amizade, se tinha a certeza disso, se não estava a mexer em coisas muito cedo. Isso deixou-me com medo, estou numa indecisão, estou entyre a ideia de estar a gostar de falar com ele, de desabafar algumas coisas e de estar a participar da vida dele e entre ele estar a ganhar algum tipo de ilusão, de estar a falar mas estar a sofrer com isso enfim isso tudo. Eu não puxo pela conversa, não estou a forçar absolutamente nada mas isso não me tira a culpa. Depois outra coisa que me começou a atirar abaixo foi saber das coisas dele, que estava a ser praxado, que estava a viver essas coisas todas da vida académica e fez-me pensar no quão insignificante é a minha vida. A minha mãe esteve-me a dizer que não posso viver pela vida dos outros, que lá porque axo que as pessoas fazem coisas muito melhores não quer dizer que seja verdade e não quer dizer que eu tenha que viver o mesmo que eles e que toda a gente tem problemas e toda a gente vive à sua maneira. Eu disse-lhe que não gostava da maneira que estava a viver que preferia ter coragem de fazer certas coisas que as pessoas fazem. Ela disse que tem tudo a ver com a maneira como eu vejo as coisas, eu vejo que tudo o que eu faço é mau, eu vejo que tudo o que eu sou é mau. E tem razão, eu sei disso. Tenho coisas más como toda a gente mas pioro tudo porque axo as coisas mais simples erradas em mim. Noto isso quando vejo que há dias que gosto de uma coisa ou estou tranquila com ela e outrops que odeio e não consigo viver direito com essa coisa. Também tenho pensado muito na faculdade. Toda a gente que fala disso ou que sabe a situação me fala em mudar o curso. Começam a ser muitas pessoas. Mas como posso fazer isso. Ia-me axar uma falhada para o resto da vida, ia ser sempre aquela que andou cinco anos na universidade para fazer um curso e resolveu mudar porque não conseguiu faze-lo. E depois há a questão de eu ter os meus problemas comigo e se mudar de curso não sei até que ponto os problemas vão continuar. Não sei. Não sei o que fazer. Aliás agora só posso fazer uma coisa, já tive mais convicção neste curso mesmo em alturas que estive desanimada mas pensei sempre claramente que tinha que o fazer, mas neste momento não posso muder de curso porque estamos no meio do ano, por isso vou continuar a tentar, a tentar por-me bem e no fim do ano, ou mais para o fim do ano penso nisso com mais afinco. Eu ja disse outras vezes isso e depois não penso muito nisso na altura que devia mas enfim. A verdade é que as coisas mudaram um bocado. Ontem saí com o P. falei-lhe um bocadinho disto, mas não entrei em grande pormenor.  às vezes axo que tenho um bocado de necessidade de explicar a essas pessoas porque é que as coisas me estão a correr mal na faculdade. Para às vezes não parecer que lá estou eu a queixar-me mas estar a cagar-me pra universidade. E ja me disseram que não me posso preocupar tanto com o que as pessoas pensam. É verdade. Mas é muito forte para mim. A minha mãe também me falou nisso porque entretanto tive uns problemas com um grupo com quem tinha que fazer um relatorio (ou pensei que tinha porque depois não era nada e eu quase desisti) e ela disse-me que não precisava me preocupar com o que as pessoas iam pensar de mim, "que interessa o que elas vão pensar, se pensarem pronto, se vierem falar contigo responde, explica, se não quiserem perceber paciência vais fazer o quê". Já ouvi este discurso antes,  mas naquele momento fez tanto sentido que me fez bem. Marquei consulta na psicologa mas só daqui a duas semanas. Acxo que lhe vou pedir pra me aconselhar uns anti depressivos ou qualquer coisa, axo que preciso pelo menos andar com eles na bolsa para evitar coisas assim, é que nunca me senti tão mal. Os ansioliticos não digo que não façam nada, axo que fazem alguma coisa, mas não fazem muito. Talvez ela me aconselhe alguma coisa para pedir ao meu medico. Entretanto com esta treta de não conseguir comer estou branca como a cal o que realça imenso a minha beleza e o cabelo cai-me em quantidades um bocadinho acima do que eu axo normal. Lá terão de vir umas vitaminas. E eu que não gosto de tomar medicamentos. Obrigada pela força. Hei-de levantar-me. Espero que estejam todos a ter um bom fim de semana.

See ya

escrito por sonhadoraincuravel às 16:35
link do post | dar palpite | ver comentários (6) | favorito

Terça-feira, 2 de Novembro de 2010

E foi hoje, depois de longos meses, que me descontrolei. Chorei baba e ranho, ainda choro. estou perdida, completamente perdida. Acendi dois cigarros, não adiantou de nada. O tabaco é a coisa mais fora da minha intediante existência que faço. Não sirvo pra nada. Sejamos sinceros, se não fosse a minha familia quem é que ia sentir a minha falta? Ninguém. Podiam chorar alguns, ter pena. Mas na pratica quem ia sentir a minha falta para além da minha família? Estou exausta. Exausta de aguentar, de ter aquele sofriento constante como se tivessemos aquela dorzinha de dentes que não é forte mas está sempre lá. É assim que me sinto, há sempre um esforço, um sofrimento todos os dias. Estive melhor desde que deixei a psicologa. Fiz alguma coisa sozinha, evolui ligeiramente. Mas fui-me abaixo. Tanto. Hoje voltei a sonhar com o T. com o que lhe dizia. Estou a ficar doida com isso. Esta situação fez vir ao de cima tudo o que estava la escondido, todos os problemas que eu fui fingindo que estavam melhores, que estava a aguentar. Não dura sempre aguentar essas coisas. Estou cansada. Não sei o que fazer. Não sei o que será melhor para mim. Não sei que raio de rumo é que posso tomar se a minha vida ja esta uma merda. É injusti dizer isto com a familia que tenho mas axo que ja todos percebemos que me refiro a mim, as minhas coisas e a minha vida sozial e com amigos. Sem amigos. Na semana passada falei com pessoas, saí mais. E depois? Não muda nada, continuo a sentir o mesmo por dentro, a confiança que ganho nessas situaçoes é tão pequenina tão pequenina. E eu precisava tanto de subir o meu animo consideravelmente. O saldo esta muito negativo. Não há uma pessoa neste mundo, a dizer-me gosto de ti. Uma só. Na minha familia está implicito e as vezes até é expresso mesmo mas tirando isso, não há uma pessoa a dizer-me isso. A mostrar-me que sente a minha falta. Não sentem. Podem gostrar de sair comigo até alguns. Mas se não sairem, saem com outras pessoas, a mnha presença ou ausência não lhes aquece ou arrefece. E agora diria a minha psicologa. Agora supostamente ta mal então faz-se alguma coisa para ficar bem. O quê? Aguentar um pouco mais? Sofrer um pouco mais? Estou farta. Não sei o que fazer, não sei lidar com as coisas, com as coisas simples, com a vida. Pensei que "viver" era um dado adquirido, era-nos dada essa oportunidade e apartir daí a gente vivia. Mas eu não estou a viver. Eu estou a sobreviver. E o que torna a coisa mais ridicula é que os meus problemas nem são graves. São simples. Podiam ser simples, não fosse a minha estranha e defeituosa existência. Sinto que o que me faz "ser" é um erro. Não está bem, não dá. Estou farta do meu curso. Não posso desistir dele. Estou farta de não me sentir capaz. Estou farta de não ser capaz. Estou farta de ter que ser capaz. Estou farta que as poucas decisões que tomei na minha curta existência me estejam a dar tantas dores de cabeça. As cisas até estavam a correr bem caramba. Estava mais ou menos calma. Porque é que isto veio tudo ao de cima. Uma coisa é certa, se vieram é porque estavam lá. E sejamos realistas, vai estar sempre. Não vai chegar o dia em que vai ser facil para mim conhecer alguém e vou dizer o que me apetecer sem ter o maximo cuidado. Não vai chegar esse dia. E com a maneira como eu vivo, quando é que vou conseguir uma amizade proxima? Como a que podia ter com o T? Nunca. E um amigo com o qual me apeteça pertilhar mais do que uma amizade sem pensar em todas as pressões que imponho a mim propria? Eu sei o quão dificil isso será ou seria. Ás vezes chego a não acreditar e a pensar "será que vou envelhecer sem ter outro namorado, sem ter uma coisa em que finalmente eu me sinta feliz?". Sou nova de mais para pensar isso. Mas com a minha maneira de ser, a maneira mesmo que às vezes esteja mais disfarçada.... não é assim tão descabido pensar assim. Hoje estou farta, muito farta. Talvez volte às consultas de psicologia. Disfarçar mais um pouco aquilo que sou. Espero que com voces esteja tudo bem.

See ya

escrito por sonhadoraincuravel às 16:55
link do post | dar palpite | ver comentários (8) | favorito

Segunda-feira, 1 de Novembro de 2010

Hoje estou um bocadinho melhor. Dormi melhor. Tenho que estudar e não me apetece mas enfim. Tenho sentido que "existo mais" para algum pessoal do secundário, obviamente pelo facto  de andar a sai mais por cá. Não axo que isso devia ser imperativo para as pessoas se lembrarem da minha modesta existencia mas de qualquer maneira é bom sentir um bocadinho que seja do carinho das pessoas. As coisas não mudaram muito tenho pensado na mensagem que vou mandar ao T. esta semana, não sei o que vou escrever mas tenho que lhe mandar qualquer coisa que dê para ter uma resposta dele para ver alguma coisa, para perceber alguma coisa nas palavras dele. Se for preciso vou receber uma resposta seca mas enfim. A C. mais uma vez fez das suas. Disse que vinha cá este fim de semana. No sábado à noite perguntei se tava cá para irmos  tomar café com o P. mas disse que só vinha no dia seguinte. Ontem não disse nada. Fiquei a pensar que já tinha combinado alguma coisa com alguém e foi pra noite festejar o halloween. Hoje esperava pelo menos que me dissesse pra ir ter com ela de tarde ou assim. Nada. Não me disse nada. Já devia estar à espera. No fundo já estava. Não é a primeira vez que faz isso. Agora ela que venha falar comigo outra vez e vou-lhe dizer o que tenho a dizer. Já sei que vou levar com uma desculpa mas pelo menos vou-lhe dar o trabalho de a inventar. Eu já sei como eles são, já falei das desilusões que tive com os meus "amigos" não esqueci. Convivo com eles e quero conviver mais e isso faz-me bem e faz-me ter coisas boas para lembrar mas sei que la no fundo continua a mágoa apesar de não me lembrar muito dela na prática porque não sou muito rancorosa e porque tenho facilidade em justificar erros das pessoas sem sequer lhes dar o trabalho de se sentirem mal pelos erros que comentem. Mas enfim isso são outras conversas. Isso já nem me magoa muito porque agora sim, já estou mais calejada, finalmente. Bom e é isto por agora. Espero que tenham um bom feriado.

See ya

escrito por sonhadoraincuravel às 15:27
link do post | dar palpite | ver comentários (1) | favorito

Sexta-feira, 29 de Outubro de 2010

No outro dia sai com a J. e depois com a C. nesse dia sai muito mais que o normal lool. Foi bom mas a C. la me veio falar outra vez no T. a dizer que leu mensagens na net da nova namorada a dizer pra ele acreditar que ela o vai fazer feliz e não sei quê. Eu sei que ela não faz por mal, é mais mexirico do que outra coisa e ela sabe que eu não tenho problemas relacionados com ele namorar. Pelo menos não tenho problemas directamente relacionados com isso porque na verdade mais uma vez isso me deixou triste. Tão triste. Porque raio é que tenho que saber isto por outras pessoas? Porque é que ele ta tão zangado comigo que me abuliu da vida dele? E depois por essa frase que ela escreveu é porque ele falou que tinha sofrrido e assim, imagino o que ele disse. Quando começou a namorar comigo ja tinha essas coisas de falar de uma namorada que tinha tido e que tinha sofrido muito e ão sei o quê quando eu sei que aquilo foi coisa de miudos. Ele é um bocado dramatico nessas coisas mas agora ta a fazer isso usando-me a mim e não gosto. Eu conheço-o, apesar de ser especulação não andará muito longe do que eu penso o que ele disse sobre mim e o que ele contou sobre o nosso namoro. Isso irrita-me. E entristece-me. Não consigo explicar, isto parece arrependimento, ciumes. Não é isso, eu tenho a certeza do que não sentia por ele. Mas é mais um a ignorar-me a substituir-me como amiga e se ele está bem porque é que me ignora. Estou mesmo magoada, faz-me sentir muito mal pensar nestas cisas. Não gosto de estar a saber destas coisas por outros é como se estivesse aqui qualquer coisa pendente, tenho coisas entaladas na garganta coisas que queria esclarecer, que lhe dizer na cara em vez de tar a sonhar com isso. Hoje não dormi nada, ontem não conseguia adormecer e de noite sonhei e foi uma m.... Ontem o dia podia estar a correr tão bem, sai, falei com pessoas, esta semana percebi varias pessoas a falarem comigo sem sentir aquela sensação que tão a olhar pra um bichinho e a tentar perceber qual era a minha. Falei com pessoas dos meus grupos quando passava por elas fora das aulas, saí com a J. e por isso estivemos fora do ambiente de aulas, sai com a C. que é sempre uma pessoa com quem estou muito mais descontraida. Mas caramba isto deitou-me logo o humor pra este estado. De cada vez que penso fico triste dá-me uma sensação no estômago. Começo a pensar no facto de ser ignorada e substituida pelos amigos, no facto de axar que não valho nada, no facto de me sentir inutil, começo a pensar nas coisas que disse ao T. e que não queria que ele contasse a ninguém mas tenho quase a  certeza que algumas coisas ja contou a pelo menos uma pessoa que saia connosco, não tenho confiança nele já. Eu não estava apaixonada por ele, sabia das mentiras infantis dele mas confiava nele a esse nivel, era meu amigo, o problema alias é que ele era meu amigo muito mais que namorado. Eu sinto-me arrogante porque quando acabamos e varias vezes disse aqui que não sentia falta dele assim, saudades ou assim, eu expliquei isso varias vezes aqui. Sinto-me arrogante porque agora que ele começa a estar bem eu fico triste de cada vez que penso nele e na amizade que se foi. Mas axo que não somos perfeitos. Erramos todos de vez enquando. E continuo a aformar o mesmo, eu de facto não tinha esse sentimento, não sentia a perda. Talvez porque eu no fundo axava que ainda tinha o amigo, não presente mas talvez tivesse a sensação de que mais tarde haviamos de falar. Agora vejo-me aparte de tudo o que acontece, o que ele faz, do que a S. faz, a rapariga que também saia connosco e emigrou, fui à festa de despedida dela e agora não sei nada dela. Enfim, quando sei destas coisas sinto mesmo que as coisas la continuam a acontecer e a minha presença ou ausencia também aqui, pouca diferença fez, pelo menos não fez durante muito tempo, talvez no inicio tenha feito alguma diferença, agora ca pra mim até é melhor sem mim. Fico mesmo triste. Nem consegui vir falar disso antes´e mesmo agora fiz um esforço porque sinto a necessidade de desabafar. Estas coisas tão-me a magoar muito por dentro e trazem-me estas sensações que não gosto nada de sentir. Nem o ansiolitico fez efeito, a não ser o sono imenso que hoje senti. Para a semana vou ter oportunidade de lhe mandar uma mensagem. Não vai ter nada a ver connosco nem com nada do que escrevi aqui, aliás nem é pra ele directamente mas é uma coisa que tenho que dizer atraves dele. Não quero dar o braço a torcer de maneira nenhuma, não quero ir atras, eu sei o que parece e o que parece não é o que é, ninguém percebe o que eu sinto porque ninguém é complicado como eu mas vou mandar essa mensagem para ver de que maneira é que ele me responde. Talvez surja oportunidade de lhe dizer o que tenho entalado. Não sei se tenho razão. Eu sinto maioritariamente que sim. Não sei como vai ser, de qualquer maneira não me tou a ver algum dia a sair com eles outra vez depois do que provavelmente ja se disse de mim (mesmo que fosse pra lhe dar força, aquele tipo de comentarios que uma pessoa faz para a pessoa ver o lado mau da outra para a esquecer e assim sei lá.... estou eu a imaginar mas de qualquer forma vou ficar sempre com essa ideia). Tenho tanta pena quando saio da vida das pessoas, quando elas saem da minha vida.... E se calhar foi a pessoa que o fez com a qual eu tinha mais intimidade então custa mais. Enfim. Não me devia deixar afectar tanto por isso. Devia ser forte, aprender a fortalecer-me com estas coisas que me deixam triste. Mas fico muito afectada fico mesmo triste com isto, desencadei-me umas sensações uns sentimentos que muitas vezes não consigo controlar. Bom mas houve coisas boas esta semana e apesar disto também me tem feito sentir bem certas coisas. Isso de me ter dado bem com as pessoas, no outro dia ao despedir-me do meu colega de grupo, o outro rapaz que estava com ele despediu-se de mim como se me conhecesse mais quando na verdade axo que mal falei com ele ate aquele dia. Enfim, os meus colegas de grupo falam comigo, chego às aulas e às vezes la oiço o meu nome e é alguém dos meus grupos a chamar, nomalmente pra falar de relatorios e assim mas tudo num clima que não é aquela coisa séria e assim. Enfim, tenho estado melhor com as pessoas, espero que continue a sentir-me assim e que tenha mais conhecimentos, que me dê melhor com as pessoas. No outro dia o rapaz do meu grupo faltou e os do grupo ao lado juntaram-se a mim, apesar de ja sabermos que a prof não deixa e depois acabamos por fazer o trabalho em separado mas no fundo fizemo-lo juntos lool. Enfim tem sido bom e sinto que faço parte de alguma coisa às vezes e sinto que as pessoas olham pra mim com alguma simpatia e isso ajuda-me muito. Hoje uma rapariga também me deu uma resposta um bocadinho torta por causa de um relatorio e eu calmamente consegui responder-lhe e não ficar a sentir-me muito mal, normalmente sinto uma sensação de humilhação enorme e hoje consegui controlar-me até antes de responder. A outra rapariga do grupo depois ate me disse que gostaa muito dela mas que axava que ela era assim muito teimosa e injusta as vezes e assim e também me fez sentir bem. Aliás devo dizer que esta rapariga me parece uma excelente pessoa, desde o ano passado que a conheço e algumas atitudes dela fazem-me gostar bastante de a conhecer porque ela é realmente muito simpatica e sei lá, não é intriguista nem tem a maneia que é superior nem nada disso que tantas vezes me inibe la na faculdade. Enfim, nessa parte tem sido bastante bom e agora que falo nessa parte ate me sinto um bocado melhor, claro que de vez enquando la me lembro das coisas que me põem triste mas talvez va tomar um cafezinho com a C. e o P. este fim de semana e talvez desabafe porque axo que falado assim com quem me conhece e da respostas mesmo conhecendo a outra pessoa e assim talvez me faça bem. Bom e espero que voces estejam todos bem.

See ya

escrito por sonhadoraincuravel às 22:22
link do post | dar palpite | ver comentários (3) | favorito

Domingo, 24 de Outubro de 2010

Hoje sonhei com o T. estava xeio de piercings e estava diferente lool. Não é saudades nem arrependimento de ter acabado com ele. Sonhei com ele porque falei nele durante o dia com a minha mãe porque axava que tinha visto o carro do pai dele. Mas pus-me a pensar ainda meia ensonada e fiquei na cama a pensar em coisas que me deixaram triste. Ele que se dizia meu amigo, ele que dizia que eu era a melhor amiga dele, ele que criticava os meus amigos que não se emportavam comigo, fez o mesmo substituindo-me por outras pessoas. Estou com raiva, estou zangada tenho que dizer. Não sei se tenho direito, não sei se estou a ser injusta. Confesso que me sinto um bocado mal por estar a sentir e a pensar isto dele porque afinal fui eu que quis acabar e se calhar fui eu que empatei a vida dele. Não tenho direito de estar zangada por axar que ele já esta melhor. Mas eu axo que vai para além disso, não estou a ser tão injusta como isso. As pessoas substituem-me com uma facilidade que não compreendo, mais, com uma frequência que me deixa sentir completamente ridicula. Foi mais um a retirar-me da vida dele. Não posso dizer que o fez com facilidade, eu sei que ele pediu pra deixarmos de falar para me esquecer. Só não pensei que fosse mesmo para esquecer que eu existir, para ignorar que eu estive na vida dele. Para não ter o minimo de interesse para saber se eu estou bem ou mal, para me eliminar do rol de amigos dele. Serei assim tão entediante? Será que a culpa é minha. è que com tanta gente (va, alguma porque nunca tive um gripo de amigos assim tão grande) a fazer o mesmo eu tenho que pensar que tenho algum problema. E isso deixa-me completamente deprimida. Que faço eu de errado. Eu sou tímida, sou insegura, preciso que as pessoas me segurem um bocadinho às vezes, mas caramba é assim tão mau. Não valho a pena para ninguém que deixei que me conhecesse. Não vali a pena para eles. Ou então tinham-se preocupado. E com o T. axo que foi injusto ele também. Eu não posdia continuar com ele sem gostar dele. Andei muito tempo e ele não sabe. Fiz varias coisas por ele aliás, para não o deixar mal. E ele não fez o mesmo por mim. Não estou a dizer que ele ia continuar a falar comigo sendo dificil para ele esquecer-me mas caramba, agora qual é a dele? Que mal lhe fiz eu para ele aparentemente estar zangado? Será que conheceu pessoas e descobriu que afinal mais vale eu nem andar com ele. Eu sei que sou diferente. Sei que não sou como a maioria das pessoas. Mas ele sabe que eu detesto isso, ele conhece-me melhor que qualquer amigo que eu tive. Estou farta de ser substituivel. Aliás estou farta de ser substituida por outras pessoas e de não ser suficientemente boa para as pessoas fazerem algum esforço por mim. E agora claro que dirão que não posso estar sempre à espera que façam tudo por mim que andem comigo ao colo. Mas eu juro que com esses, os unicos a quem considerei realmente amigos, por ter tido uma convivencia grande com eles, dei-lhes muito mais e a minha relação com eles foi muito mais fluida do que qualquer relação que eu tenha tido nos ultimos quatro para cinco anos com as pessoas que conheci entretanto. Ou seja, eles só precisavam de na primeira oportunidade que tivemos de demonstrar a nossa amizade, de o fazer. Eu sei que também não andei muito atrás deles, mas tentei falar com eles, perguntar como ia tudo. Eles nem isso. Estavam demasiado ocupados com a nova vida e as novas experiencias que ainda bem que tiveram mas, eu apesar de não me ter integrado tão bem na universidade, axo que nunca deixaria de lhes falar e de me emportar com eles como eles fizeram comigo. E agora com o T. mais uma desilusão porque eu sabia que era complicado mas depois de estar tudo bem, considerando que não nos zangamos não foi essa a razão da separação, esperava se calhar que ele voltasse a falar-me quando estivesse bem. Mas parece que não mereço isso e não percebo porquê. Não pedia que a amizade fosse a mesma até porque não xegamos a ser propriamente amigos mas passamos a ser namorados quase directamente mas esperava de o minimo de consideração e amizade. Em vez disso tenho desprezo. É assim que me senti logo de manhã. Triste, zangada, incompreendida, sem valor, confusa e deprimida. Ei sei que tenho que dar mais, tem que partir de mim porque nesta situação se não for eu a fazer os outros estão-se perfeitamente cagando mas as vezes é dificil eu não consigo, eu bloqueio e tenho estes dias em que estou deprimida e queria que alguem me viesse animar. A minha mãe e a minha familia fazem-no mas assusta-me e faz-me falta ter amigos. Tenho ido falar com o P. sou quase sempre eu a faze-lo mas vou. Tenho ido falar com a C. e ando a tentar marcar qualquer coisa com ela. Tenho falado com as raparigas e rapazes dos meus grupos apesar de a coisa se ficar pela aula pronto ja me da alguma confiança pelo menos a maior parte dos dias. Mas é triste sentir que se ficar trancada em casa o resto da vida, para além da minha familia, não tenho propriamente mais ninguém que se preocupe com a situação ou sinta falta de estar comigo. E ok, em vez de me lamentar tenho que fazer com que as pessoas sintam falta disso. Mas caramba, já não basta estar assim, star sempre xeia de medos, sentir-me mal comigo a maior parte das vezes, ter de fazer um esforço a dobrar para estar com as pessoas, sentir-me deprimida com frequencia e estar carente e ainda tenho que ir em busca disso. De manhã estive a pensar que já ultrapassei algumas coisas da minha cabeça como os problemas com a minha imagem, a anorexia, a certa altura também lidei melhor com a timidez e quando estava com anorexia, apesar disso até estava ligeiramente mais auto-confiante, lido com a POC, tive ataques de pânico, medos enfim, ja pensei em coisas e as ultrapassei e continuo aqui a enfrentar as coisas que eu proprio crio na minha cabeça mas a verdade é que apesar de tentar pensar nisso no sentido de me dar força porque tenho tido essa força, a verdade é que não sinto mesmo essa força não me sinto muito mais motivada. E é isso, para além de andar desmotivada com a universidade, ando desmotivada comigo. Bom e hoje o dia foi assim. Mas de tarde fui às compras porque na semana passada não consegui comprar assim grande coisa e tava a precisar de umas roupas e comprei o que precisava e pronto ja fiquei um bocadinho mais animada. Espero que esteja tudo bem por aí.

See ya

escrito por sonhadoraincuravel às 00:59
link do post | dar palpite | ver comentários (5) | favorito

Domingo, 12 de Setembro de 2010

O meu dia foi melhor do que ontem, não estava tão triste, não pensei muito, acordei, almicei, fui tomar café, tive visitas, enfim. Até tive bem. Há uns dias reparei no messenger que o afilhado de uma amiga de liceu (e antes disso até) tinha nascido. Não sei porquê (ou se calhar sei) não me apeteceu ir falar logo com ela. Hoje fui falar com ela e claro que a resposta foi um silêncio. Já é habito dela, devo ser transparente para ela. A sério ainda no outro dia disse que não se devia correr atrás de quem foge (quem disse isto foi a Diana Chaves no Alta Definição) mas a verdade é que me encomoda. Caramba eu nunca lhe fiz mal nenhum, sempre falamos carinhosamente uma para a outra, para aí no sexto ano descobrimos que tinhamos afinidades e começamos a ficar amigas, fomos bastante amigas, faziamos parte do mesmo grupo restrito no liceu enfim. Depois fomos para a Universidade e afastamo-nos como aconteceu com todos mas a sério que a maior desilusão foi com ela. Não fui a única mas sempre perdoei as faljhas dela porque ela é mesmo despistada, era capaz de marcar coisas e não aparecer ou chegar ou uma hora de atraso enfim, mas eu sempre lhe perdoei essas coisas quando o P. por exemplo que é quase como um irmão se zangou várias vezes. Mas chegou a um ponto que cansei de ser parva. De cada vez que vou falar com ela no messenger ela ignora-me, não me responde, é capaz de entrar e sair e não me responder, já lhe disse isso e ela disse que tava a fazer trabalhos ou assim, mas de férias não tem desculpa para me dar além disso acontece de todas as vezes. Além disso de cada vez que saímos ela fala imenso das coisas que faz no curso dela e assim e eu gosto muito de a ouvir mas nesta altura, aliás, desde que fomos juntas à benção das pastas do P. que percebi que ela, como foi sempre a menina que chamava a atenção por ser querida e baixinha e redondinha, pequenina enfim, era querida e continua a ser mas axo que por isso talvez começou a axar que toda a gente lhe suporta tudo e nessa benção das pastas quis um protagonismo que eu nem imaginei tirar-lhe mas o facto de ela se querer afirmar mais importante do que eu ali porque tinham sido criados juntos fez-me ver que ela tem a necessidade de se impor sei lá. Enfim, seja como for eu já gostei muito dela, já a considerei a minha melhor amiga e agora sinto uma desilusão tão grande. Que mal lhe fiz eu para me ignorar, não foi por a chatear com os meus desabafos concerteza porque nunca chateei ninguém com isso apesar de às vezes me saírem desabafos mais derrotistas e não gostar disso, mas nunca chateei ninguém de certeza, por isso tive a necessidade de criar este blog, porque não sou capaz de entediar ninguém com as minhas coisas, já chego eu. Sinceramente não percebo porque ela tem uma aversão tão grande em responder-me a uma mera pergunta em que só queria felicitá-la pelo nascimento do afilhado. Aliás coisa que ela não faria se visse alguma coisa no meu messenger porque eu sou invisivel para ela. E o que me magoou mais foi ver que ela comentou uma foto qualquer de uma colega nossa que já não vê há imenso tempo, toda carinhosa e não sei quê. Se calhar isto é parvo e é um bocado ciumes mas fiquei magoada porque já fomos tão xegadas e ela não é capaz de fazer o mesmo por mim sequer, nunca comentou nada meu, se eu disser que me vou atirar de uma ponte na minha frase do messenger ela não vai lá perguntar se tá tudo bem (e depois de escrever isto vejo o peso destas redes sociais na minha própria vida, também já fui atingida e nem tinha percebido bem). Tou muito magoada a sério, tou desiludida. Ninguém me pode dizer que não posso valorizar isto. Pelo menos até certo ponto. Eu axo que o problema não é própriamente meu, na essência. Mas sinceramente sei lá, eu não tinha um role muito grande de amigos e axo que fui amiga deles, no sentido verdadeiro da palavra, mas será que há alguma coisa de errado comigo a esse nível? Alguma coisa importante que faz com que realmente ninguém sinta a minha falta se eu não estiver? Uma amizade verdadeira é substituivel? Mas eu já tinha chegado à conclusão que as amizades que eu conhecia não eram propriamente verdadeiras, pelo menos como eu as julgava ser e como vejo nas relações de outras pessoas, não é verdade? Uma coisa é dizer outra é sentir e axo que hei-de sempre ficar desiludida com isto porque qualquer sinal de amizade e de carinho me faz ter esperança nas pessoas e na relação que tive, tenho ou posso vir a ter com elas. E portanto, depois acabo por me desiludir uma e outra vez, porque é facto que as pessoas dizem muita, muita coisa da boca para fora. A sério começo a ter medo. Eu sei que toda a gente pode ter amigos, absolutamente toda a gente. Sei toda a teoria que isso envolve, sou consciente disso. Mas na realidade sinto muita insegurança, cada vez mais porque eu até vejo pessoas tímidas com amigos, pessoas inseguras com amigos e vejo pessoas maldosas e com ideias a meu ver não muito correctas com amigos, então porque é que ninguém sente esse afecto por mim. Eu tenho a certeza que nunca fiz mal a ninguém. Mesmo que alguma vez tenha desejado dar uma má resposta, por alguém no lugar eu nunca o fiz, então também ninguém ficou ofendido por mim. Não atraio mesmo pessoas. Devo ter uma barreira desenhada na cara. Como se as pessoas olhassem e dissesse na minha testa que não quero confianças com ninguém. Tou cansada. Desde ontem que voltei a sentir aquele cansaço que sinto quando a cabeça não anda mesmo em ordem. É um cansaço emocional que chega a ser físico também. Só me apetece chorar e não consigo. Foi desde que fui à universidade, é um facto. Quero pensar que sou capaz de levar aquilo na boa, e hoje até me consegui convercer disso e esperar pelas inseguranças e nervosismos para lidar com eles mas o facto é que desde aí que estou mais sensivel. Amanhã acordarei melhor, talvez tire as primeiras fotos minhas do verão imaginem, já tirei algumas mas nunca estou, tou sempre atras da camara. Continuem um bom fim de semana.

See ya

escrito por sonhadoraincuravel às 00:14
link do post | dar palpite | ver comentários (4) | favorito

Terça-feira, 29 de Junho de 2010

estou triste. inscrevi-me nas disciplinas e vi que tenho tantas coisas para tras. Eu sabia, sei porque foi assim, sei que não me esforcei muito, sei que andei de cabeça xeia, tão xeia. Mas fico triste, volto a ter aquela sensação de inutilidade. Volto a ter dificuldade em encontrar sentido para a minha vida. Volto a ter dificuldade em encontrar coisas boas em mim, coisas que valham a pena sei la. Qualquer coisa que tenha valor. Detesto a sensação que ja conheço tão bem. Depois passa, é verdade, mas deixa-me mal. Sinto-me a ficar para tras. Pior, estou a ficar para tras. De repente parece que sinto a cabeça cansada, farta de trabalhar mas na relidade não fiz grande coisa. Estou cansada. Precisava de me ligar à tomada pra ver se ganhava energia lool estou mesmo exausta mentalmente. Cansada de mim outra vez. Porque é que me iludo com coisas que me fazem sofrer. Parece que tive uma coisa optima, maravilhosa nas mãos  e que essa coisa me escorreu pelos dedos sem eu ter reagido. Que quero eu, são consequencias dos meus actos.

See ya

escrito por sonhadoraincuravel às 14:51
link do post | dar palpite | ver comentários (3) | favorito

Segunda-feira, 7 de Junho de 2010

Estou em casa a ver novelas brasileiras, o meu humor não é do melhor portanto. Não tyenho vontade de me vestir e também não tenho muito que fazer lá fora, não me apetece começar a estudar. Uma amiga disse-me hoje que já subiu na carreira, ela foi para a tropa e agora tá longe e raramente vem cá. Eu tinha-lhe mandado uma mensagem no facebook porque ela nem me respondeu a uma mensagem que lhe mandei ha tempos e pronto. Então o meu estado de espírito não é de tar conbtente por ela, mesmo estando. O que sinto mais é frustração porque vejo outra vez que as pessoas tão a viver as suas vidas, tão a fazer coisas, têm compromissos, entendem de qualquer coisa e eu estou asdsim, na mesma. Eu sei que sou culpada, eu sei que estar a queixar-me não é a solução, eu sei que tenho que me mexer, serei preguiçosa a ponto de não fazer coisas por mim própria. Qual é a minha função, na vida de quem tenho importância. Sinto-me burra e inutil. Não sei nada que possa fazer diferença na vida de alguém e tirando a diferença que faço na vida da minha familia, não faço diferença na vida de mais ninguém a nenhum nivel. É triste olharmos para nós e não nos encontrarmos sentido. Penso muitas vezes que sou preguiçosa que sou comodista, mas será que uma pessoa que se sente como me sinto continua a fazer as mesmas coisas por preguiça e comodismo.

Hoje é um dia que todos os defeitos me parecem à superficie e as qualidades bem escondidas que quase nem as consigo ver ou dar-lhe grande importancia. Elas estão lá provavelmente, toda a gente tem qualidades e defeitos, mas os meus defeitos não são geralmente defeitos que atinjam outras pessoas, são defeitos que me magoam a mim. Aliás, nem as qualidades atingem muita gente. Eu axo que vou encontrar maneira de me sentir bem, talvez amanhã quando acordar, talvez ja esteja mais bem disposta. Mas sinto-me na fossa agora e axo que não me devia sentir assim. Apetecia-me chorar, já no outro dia me apetecia adormecer a chorar para aliviar. Mas não consigo. O que é que eu posso fazer por mim? Vestir-me e arranjar-me e ficar em casa? Sair sozinha e ir para lado nenhum? Queria fazer qualquer coisa mas não me sinto capaz de nada. Quando saio de casa vejo pessoas a sorrir, a trabalhar, pessoas bem vestidas, bonitas. Eu sorrio só com os lábios, não tenho nenhuma função, não me sinto bem comigo quando estou lá fora e sinto-me horrivel.

Estou triste com as pessoas também, quanto mais as conheço mais gosto dos animais, literalmente. Sinto que muita gente se lembra de mim só quando precisa e o mesmo vejo a passar-se com as pessoas que mais gosto. Sinto que as pessoas são completamente mal agradecidas não se sentem gratas pelo que lhes fazemos. Quando faço alguma coisa por alguém não espero grande coisa em troca, mas é triste ver que depois não há um reconhecimento ou o minimo de vgratidão e acabam até muitas vezes por abusar das pessoas. Esses comportamentos não traduzem trudo o que as pessoas são, gosto de estar com elas na mesma mas se calhar neste momento perderam algum encanto. 

Estou com uma grande vontade de viver mas não sei como aproveitar as coisas ou se calhaer não sei algumas coisas que podia aproveitar. Axo que vou dar uma volta de carro, por a musica alta, gritar para assustar os pensamentos tristes.

See ya

escrito por sonhadoraincuravel às 15:17
link do post | dar palpite | ver comentários (1) | favorito

Sexta-feira, 14 de Maio de 2010

estou em baixo e ha pessoas que parece que não têm problema em deixar-me assim. Ontem o meu pai não disse nada do acidente mas a minha mãe hoje vei-me dizer que ele estava muito calado porque estava farto disto, estava chateado. Não sei porque me disse isso, podia poupar-me a sentir isto. Parace que as vezes as pessoas preferiam que esteja quieta pra não fazer asneiras. Podia ter acontecido em qualquer sitio não tive culpa vieram contra o meu carro não podia adivinhar e dizem-me "pra que fost sair ontem de casa", não vêem que fui a primeira pessoa a pensar isso. Já ontem o T me tava a chatear porque ia comigo no carro e em vez de ajudar tava-se a querer fazer de vítima de alguma coisa, fosse o que fosse, qualquer coisa que eu dizia ele levava para o lado de que eu não lhe dava valor. Não sei explicar mas já me estava a enervar e tive que me acalmar e pensar noutras coisas uma vez que apesar do acidente, enquanto estava acompanhada até estava bem. Depois quando fico sozinha é que me ponho a pensar. E depois a minha mãe hoje diz-me aquilo, o meu pai pergunta porque fui sair de casa. E eu ando aqui no meio, parece que tou a falar uma lingua que ninguém percebe. Ninguém me percebe, ninguém tem o cuidado de se por na minha posição e eu mesmo assim tou sempre a por-me no lugar dos outros e a absorver os problemas deles. Parece que levei um murro no estômago. Apetecia-me ficar na cama, não me apetecia ver ao espelho nem vestir-me nem estar com pessoas. Mas preciso ir buscar os meus primitos à escolinha e eles merecem que esteja bem pra eles. Por isso vou voltar a fingir e quem sabe acabo por me convencer a mim própria que tou bem.

See ya

escrito por sonhadoraincuravel às 14:09
link do post | dar palpite | ver comentários (3) | favorito

ora-deixa-ver-quem-é-esta-croma
Janeiro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


últ. comentários
mais do que isso tou com preguiça de ler o que esc...
olá, como vais? este blog é bom se tiver pernas pa...
olá menina, como é que tu estás? saudades tuas.. v...
olá menina. então, como é que tu vais ? eu vou bem...
olá. já tinha muitas saudades tuas. como estás ? p...
olá! eu também ia cheia de esperanças, quando come...
ola responi tardeas respndi. Sim eu tenho POC e e...
Olá...andava a fazer uma pesquisa sobre poc e enco...
olá! saudades tuas. ainda bem que estás bem. vê se...
tive uma grande necessidade de apagar todos os blo...
favoritos

2009.

pesquisar
 
Fazer olhinhos
subscrever feeds

blogs SAPO


Universidade de Aveiro